terça-feira, 22 de Julho de 2014

250 argumentos para vir ao Algarve

Praia de Vale do Lobo (foto © CM Loulé)


Fizemos as contas e reunimos 250 motivos que fazem das praias do Algarve o destino ideal para as férias de verão.

Espalhadas pela costa algarvia estão à vossa espera 82 praias e quatro marinas com Bandeira Azul, símbolo europeu de qualidade para os banhistas atribuído pela Associação Bandeira Azul da Europa. São mais 13 areais galardoados do que há um ano.

As zonas balneares com melhor qualidade da água também são distinguidas pela Quercus – Associação Nacional de Conservação da Natureza no início da época de banhos. No Algarve, 87 areais têm Qualidade de Ouro, mais três que em 2013.

Juntam-se ainda 44 Praias Acessíveis, que hasteiam a bandeira branca do projeto Praia Acessível - Praia para Todos, assinalando as zonas balneares acessíveis a pessoas com mobilidade condicionada. E em 2014 há mais uma Praia Acessível do que no ano passado.

Finalmente, contámos 32 Postos de Saúde de Praia que, de Aljezur a Vila Real de Santo António, asseguram cuidados de enfermagem até ao final da época balnear, a 15 de setembro.

Aos galardões que garantem aos residentes e visitantes a qualidade das praias algarvias junta-se mais um pretexto para estender a toalha nos nossos areais: somos o melhor destino de praia da Europa!

Agora, é fazer a conta e rumar ao Algarve!

sexta-feira, 18 de Julho de 2014

Novidades que surpreendem

Descubra as 33 sugestões para o verão da revista Visão 


A Visão palmilhou o Algarve de lés a lés e encontrou novidades surpreendentes que vão marcar as férias estivais no destino. É o caso do Algarve Pass, um cartão de descontos que dá acesso ao wi-fi 4G grátis nas praias da região. E após um dia de banhos, calha bem um fim de tarde em ambiente chill out no chiringuito Last Chance, na praia da Mareta. Este é apenas um dos spots algarvios a experimentar nas férias, que prometem muitas inaugurações e reaberturas! Aqui não faltam os gelados italianos, nem os sabores orientais e há tapas para picar. Um parque aquático em mar aberto ou uma nova praia de ondas num parque temático. Há sugestões na beira-mar, no campo e… no fundo do mar (o primeiro diving camp português é em Sagres). E até há uma original Casa do Sal, entre as 33 descobertas da revista para o verão, para conhecer aqui.

quarta-feira, 16 de Julho de 2014

São 20, meus caros, são 20


Créditos fotográficos: Coastline Algarve, Museu da Batata-doce, Velocity Café, Blumm Bar

A revista Time Out voltou ao Algarve este ano para espiolhar o que temos de novo por cá para os turistas. Bem, e para os residentes também. O resultado salta à vista num artigo que reúne 20 “boas novas” tão surpreendentes quanto comer batata-doce de todas as maneiras e feitios, em qualquer altura, no Museu da Batata-doce do Rogil (Aljezur), ou ver cinema ao ar livre dentro de um buggie na Quinta do Lago. Se estas não causam suficiente admiração, então o que dizer de beber cocktails moleculares no Blumm Bar (Albufeira) ou de nos sentarmos num café a ver passar bicicletas numa pista construída no interior… do próprio café? Já conquistámos a vossa atenção total agora, cá nos quer parecer. Por isso dizemos que vale a pena apontarem cada uma das ideias que a revista apresenta, do princípio ao fim, aqui.

terça-feira, 8 de Julho de 2014

Monchique, o topo (verde) do Algarve

Quando pensarmos em subir ao ponto mais alto do Algarve há que ter uma coisa em mente: levar casaco ou uma camisola fina para nos abrigarmos do fresco das alturas, mesmo no verão, porque a aragem não escolhe friorentos ou encalmadiços. Ainda são 902 metros de altitude, o suficiente para nos proporcionar uma paisagem assombrosa em frente ao nariz mas também suaves arrepios quando o vento sopra. Pois é precisamente aqui, na Fóia, que começa o nosso percurso por Monchique, esse concelho ajardinado que é um exemplo de “crescimento verde”. 


Fóia: o ponto mais alto do Algarve, com 902 metros de altitude

Quem o diz é o presidente da câmara Rui André, mas nós somos forçados a concordar porque se há natureza (o dito verde) no Algarve, ela está aqui. E as boas práticas turísticas também. Sem perdermos o fio à meada, voltamos à Fóia, o ponto mais alto da serra de Monchique e do Algarve. Excluindo a serra de São Mamede, a Fóia é a maior elevação a sul do rio Tejo, sabiam? E tem um amplo ângulo de paisagem que abrange desde o cabo de São Vicente até à serra da Arrábida: sim, podemos mesmo ver isto tudo de uma só, e prolongada, vez. 


Trilho que liga à Via Algarviana e que integra a rede "Veredas de Monchique"

Encosta abaixo, segue-se uma curta caminhada de um quilómetro e meio por um trilho que integra a rede “Veredas de Monchique” e que se faz por cima das reservas de água do concelho. Perde-se altitude, mas o verde, sempre ele, mantém-se neste breve troço da rota das cascatas – é nas redondezas que se encontra a do Barbelote – que desce rumo a um souto. 


Parque Aventura da Fóia

No entanto, não é nele – souto – que desembocamos. Porque o momento agora é de aventura. E é daí, da adrenalina de um suposto risco que se corre (é mesmo hipotético, já que tudo se faz em total segurança), que vem o nome do espaço seguinte: o Parque Aventura da Fóia. Arborismo, tiro com arco, escalada-rappel-slide e paintball são algumas atividades do parque criado para os afoitos. E aqueles que julgam ser corajosos e não sofrer de vertigens, não se espantem se as pernas fraquejarem quando estiverem a alguns metros do chão, presos por uma corda enquanto avançam sobre outra, num exercício de equilíbrio que nos faz parecer verdadeiros funâmbulos. É que é bem provável que isso aconteça, até aos mais valentes. 

Boa notícia é o preço deste espaço que concentra as maiores árvores do concelho – trata-se de um conjunto de pinheiros da Califórnia, com cerca de 30 anos. Pois entre 5 e 15 euros é possível experimentar uma das emocionantes propostas do parque. 


Fábrica de enchidos tradicionais "Evangelista de Oliveira"

Ainda antes de almoço, espicaçamos o apetite passando pela fábrica de enchidos Evangelista de Oliveira. É visitável, como já deu para perceber, e explica como se preparam os saborosos chouriços e presuntos. De ciência, têm pouco, mas de sabor… Mmmm!, esse é divinal. A Idália Sousa, 55 anos, e a Fernanda Florêncio, 48 anos, conseguem preparar 300 chouriços por dia, confidenciam-nos orgulhosas. Depois de passarem pelo fumeiro, vão para distribuição e venda em vários lugares. Um deles é a mercearia Sabores da Quinta, no Patacão (Faro). Mas o melhor deste sítio de fabrico tradicional é mesmo podermos provar tudo antes de arredarmos os pés para outro lugar monchiquense. 


Restaurante "Jardim das Oliveiras"

Se pensam que após esta petiscada não temos espaço no estômago para mais nada, estão redondamente enganados. Até porque o ponto de paragem que se segue pede-nos ainda mais vontade de comer. Estamos no restaurante Jardim das Oliveiras, onde nos espera uma refeição cheia de tradição. Papas de milho, chouriça assada, cozido de couve à Monchique e sobremesas típicas: isto chega para vos convencer? Além da mesa, aqui também agrada o ambiente envolvente. O nome Jardim das Oliveiras não foi escolhido por acaso – jardim, porque há verde (continua a haver verde) e flores à volta do restaurante; oliveiras, porque são estas as árvores que dão sombra ao recanto em que os clientes podem descansar para fazer a digestão e ler um livro. Até há camas de rede penduradas, como que desafiando a nossa preguiça… 




Mas não cedemos. Resolvemos continuar o passeio, que nos leva agora ao centro da vila para espiolharmos janelas, vielas, lojas de comércio local, chaminés de saia, pessoas e a bela igreja matriz cujo pórtico principal é um dos mais originais do Algarve. Pois tudo isto cativa o visitante atento. E só este poderá apreciar verdadeiramente uma conversa com as gentes da terra, com tantas histórias para contar quantas as rugas que ostentam na cara. 


António Martins, sapateiro

Ouça-se o senhor António Martins, 82 anos, da sapataria Martins. Tem porta aberta há 40 anos e só a mantém assim por teimosia e para cortar o tempo dos dias que, nesta idade, já são longos. Foi sapateiro e chegou a fazer botas para os ranchos folclóricos (algumas ainda se encontram por aqui, nas prateleiras poeirentas pelas quais já não passam dedos de clientes). 


Celina Pereira, padeira

Ouça-se também a Celina Pereira, 52 anos, que consegue amassar mais de 150 pães num dia. A padeira do complexo termal das Caldas de Monchique – sim, estamos na famosa villa termal – fala-nos alegre das fornadas que enche: cabem 75 num forno, e 30 noutro. De uma assentada ficam 105 pães caseiros prontos a comer, quentinhos, juntamente com azeite e alho. E assim se degusta uma boa tiborna ao final da tarde...

Para acompanhar, bebemos o que preferirmos, mas não podemos recusar a água. Afinal ela é a mais famosa da região. "Miraculosa", ouvimos dizer por aqui. É sabido que tem propriedades medicinais: é indicada para tratar afeções das vias respiratórias e musculo-esqueléticas. E já os romanos, que descobriram estas águas há dois mil anos, as consideravam "sagradas". Pelo sim, pelo não, enchemos uns copitos para ganhar saúde e para matar a sede antes de nos fazermos novamente à estrada. Desta vez, em direção a casa.

quinta-feira, 5 de Junho de 2014

Um “beijo do mar” com sabor ao Algarve

Percebes de Vila do Bispo. Foto © PrettyKateMachine (detalhe): http://bit.ly/SbeFIy

O guia de viagens Lonely Planet acaba de revelar 10 segredos das comidas e bebidas da Europa, onde não faltam petiscos descobertos nas montanhas italianas, especialidades gourmet norueguesas, regiões vinhateiras suíças, doces iguarias francesas e outras sugestões que incluem vinhos, cafés, piqueniques e compras em lugares mais ou menos clandestinos do continente europeu.

A lista do Lonely Planet dedicada aos segredos da Europa não podia deixar de fora o marisco e a escolha recaiu sobre uma secreta capital do crustáceo: a soalheira Vila do Bispo, no Algarve, merece uma visita obrigatória por ser “um dos melhores lugares do mundo para provar esses tenros e invulgares crustáceos conhecidos por percebes”. “É como um beijo do mar”, resume o guia turístico, que ainda sugere alguns restaurantes para degustar o pitéu algarvio.

Praia da Murração, Vila do Bispo. Foto © Hélio Ramos



terça-feira, 13 de Maio de 2014

São Brás de Alportel: a alma do Algarve está aqui

Esta é a altura do ano perfeita para irromper por São Brás de Alportel adentro: a primavera das flores silvestres, dos passeios solaçosos nas ruas da vila ou debaixo das copas das árvores que nos dão sombra ao entrarmos no barrocal profundo. Neste Algarve interior o apelo turístico é mais tímido (não estamos em terra de resorts, hotéis e cosmopolitismo) e faz-se de história e tradições. É esse o seu segredo. E é esse que vos contamos após um dia de visita ao concelho que abre a porta à serra e as janelas ao mar, parafraseando o slogan promocional da autarquia.


Pormenores do centro histórico da vila


Sim, um dia não é suficiente para conhecer o terreno a palmos. São 153 quilómetros quadrados de área e o máximo que conseguimos foi relancear os olhos por todas as coisas que decidimos ver em pormenor mais tarde. Já não é mau. Primeiro pusemos os pés no mercado municipal, um espaço do final dos anos 60 do século XX, entretanto recuperado e reaberto em 2010. No fim de semana pulula de vida, altura em que as bancas se enchem de produtos e os estreitos corredores apertam os fregueses (são muitos, dizem-nos) no meio da azáfama comercial. Mas o que mais importa é que aqui há frescos. E dos bons. 


Troço A da "Calçadinha" romana


Novas coordenadas do passeio: a autoestrada dos romanos. Não no sentido literal e moderno do termo, bem entendido, já que esta “estrada” é empedrada, tem tão-só 1480 metros, é para ser percorrida a pé e a velocidade reduzida. Falamos da “Calçadinha”, importante via romana dividida em dois troços que, presume-se, ligaria Ossonoba (Faro) a Pax Julia (Beja). Hoje, transitam nela turistas atraídos pelos vestígios arqueológicos de civilizações distantes, talvez alheios à curiosa origem do nome do percurso. Parece que as pequenas pedras que o compõem foram designadas “calçadinha” – assim mesmo, na forma diminutiva – pelos habitantes locais. O uso ditou a norma e esta espécie de alcunha perdurou.


Algumas das peças de vestuário expostas no Museu do Trajo


E por falar em património, há outro na lista dos imperdíveis e que o orgulho dos são-brasenses leva a divulgar repetidas vezes: o Museu do Trajo. Quem diria que o edifício apalaçado esconde as formas de vestir do Algarve de 1800? Desde camisas de dormir a um vestido de noiva, tudo é revelado com minúcia neste espaço-mimo que foi em tempos moradia de famílias abastadas. Não nos lembramos de nada melhor para entrar neste ambiente de romantismo tardio do que chegar ao museu de charrete. A experiência ainda está em fase de implementação pelo Centro Hípico Santa Maria, mas começará a funcionar já este verão para transformar os visitantes em aristocratas da atualidade, conduzidos a trote pelas ruas da vila. 


Nora recuperada


Um breve mas importante parêntesis para referir que o museu aloja outros pontos de interesse no exterior, como uma nora cujos alcatruzes ainda transportam água, assim haja algum destemido braçudo que faça girar o mecanismo. 




É também aqui, museu, que se inicia a rota da cortiça. Uma sala diminuta mas acolhedora dá a ordem de saída para esta rota temática em torno do sobreiro que nos leva do sobral à fábrica, terminando na loja da Pelcor, marca já internacionalizada com uma extensa linha de produtos em cortiça (um deles, uma mala, usado por Madonna). Ora bem, a sala corresponde ao centro interpretativo da rota, o único do Algarve dedicado à cortiça. Contam-nos que nele passam em média 28 pessoas por dia, que é como quem diz mais de 10 mil num ano. Número simpático para um polo desta dimensão onde visionamos um filme sobre a preparação da cortiça, que depois de extraída ainda é deixada a secar durante seis meses, é cozida e colocada em repouso algumas semanas até ser separada, prensada e finalmente transformada… nas melhores rolhas do mundo, por exemplo.


Restaurante - lounge bar Sabores do Campo


Desconhecemos se as rolhas dos tintos que agora fitamos na garrafeira do restaurante Sabores do Campo provêm de São Brás. É fácil esquecer um pormenor como este quando deparamos com vinho para paladares requintados. O salto no espaço até este restaurante situado no Poço dos Ferreiros justifica-se pela súbita fome que nos assaltou o estômago. Parece que a escolha foi perfeita, já que a mesa só foi guarnecida com pratos da cozinha do barrocal algarvio: javali e bochechas de porco preto para o almoço, rematados por gelado caseiro com amêndoa e torta de laranja. Tudo servido na calmaria deste restaurante vínico, localizado para além dos limites da vila. 


Restaurante Lagar da Mesquita


Porque falamos de comida, impõem-se mais sugestões. Passem e parem se faz favor no Lagar da Mesquita, um antigo lagar de azeite recentemente recuperado que hoje serve refeições da cozinha típica portuguesa. Tem piano, um sobreiro no pátio, boa carta de vinhos e decoração aprimorada. Enfim, é um sítio onde apetece estar, comer e voltar. Por outro lado, se o objetivo é petiscar entre o afeto das gentes de São Brás, então desloquem-se à casa de pasto O Fortes, na aldeia de Parises. Gerida pelo casal Fortes – a Maria e o Manuel –, este sítio lança simpatia. O bónus é ter linguiça assada, medronho caseiro (existe uma pequena destilaria na instalação) e outros pitéus que acentuam o prazer do convívio à mesa, ou não fôssemos nós mediterrânicos de tradição. 


Manuel João Fortes, proprietário da casa de pasto O Fortes


Mantemo-nos em altitude, em concreto a 368 metros, para apreciarmos a paisagem do interior em direção à vila. O miradouro do Alto da Arroteia não nos eleva assim ao ponto de temermos as alturas, embora o horizonte de serra, barrocal e mar nos imponha um respeito geográfico. Daqui, São Brás parece uma tapeçaria verde ponteada por casas brancas; desviando os olhos para a direita, bem ao fundo do espaço que a nossa vista abrange, aparece em surpresa o mar num azul que se confunde com o céu. Afinal, as paisagens onde o concelho está instalado são um dos maiores apelos para os visitantes e… para os mais radicais praticantes de parapente e BTT. Explicando: este é o barrocal da delícia dos desportistas, para quem São Brás é exercício ao ar livre. No geoponto dos Funchais é comum ver paraquedas ou asas deslizar encosta abaixo por este ser o único local do Algarve em que se consegue voar na direção Norte-Noroeste. No cerro do Botelho, a atração é outra e apresenta-se à velocidade das duas rodas, na modalidade de Downhill


Parque da Fonte Férrea


Mais pacato e em menor dose de adrenalina é o passeio pela Fonte Férrea, sítio implantado na serra do Caldeirão que não pode de forma alguma ser deixado de fora deste roteiro. Porquê? Imagine-se um parque com mesas em pedra onde se pode abrir a merenda que será partilhada com a família ou amigos. Acrescente-se ao cenário árvores que sombreiam o lanche ou almoço enquanto se ouve o suave marulho da água de propriedades férreas (daí o nome) que corre. E depois os pássaros, que os há, a voltear pela zona onde os andarilhos encontram muita terra para caminhar. São motivos suficientes para ir à fonte, certo?




São Brás de Alportel é tudo isto. Mas é, talvez antes de mais, a sua gente e as suas histórias. Como o António Luz, 61 anos, que descobriu no artesanato em cortiça um jeito de viver feliz; foi ele quem deu forma ao protótipo do berço de cortiça “Sleep tight” do projeto TASA. Como o Custódio Cavaco, 71 anos, de mãos dedicadas à empreita desde gaiato; confessa-se artesão “das horas vagas”, mas a destreza com que entrança a palma diz-nos que é mais do que isso e que quem fala por ele é a modéstia. Como a Idalina Mariano, 77 anos, aldeã nascida e criada no concelho, que posa acanhada para a fotografia num modo particular de agir que revela um raro contacto com forasteiros. Ou como a dona do cão Skip, determinada a sossegar o bicho que teimava em dirigir-se a nós abanando a cauda. 

Se há lugar com alma (ou muitas) dentro, esse é São Brás de Alportel. Pelo menos a algarvia pertence-lhe, e nós também.

sexta-feira, 9 de Maio de 2014

Algarve Chefs Week vai dar a provar a região



Oito chefes executivos de restaurantes de topo vão dar a provar o melhor da gastronomia regional em mais uma edição da Algarve Chefs Week, que regressa aos hotéis algarvios de 23 a 30 de maio com o apoio da Região de Turismo do Algarve.

“Durante uma semana, os chefs serão responsáveis pela elaboração de ementas inéditas, tendo por base os sabores mais tradicionais e rústicos do barrocal algarvio”, anuncia a organização do evento, que promete uma viagem às raízes da cozinha algarvia.

Os menus da Algarve Chefs Week 2014 estarão disponíveis apenas ao jantar e têm um custo de 30 euros por pessoa, sem bebidas.

Mais informações em www.algarvechefsweek.com ou na página do evento no Facebook.

Lista de participantes:
Chef Andrew McGie, restaurante Louro, Hotel Conrad Algarve;
Chef Miguel Lourenço, restaurante The Olive Tree, Hotel Vale d’Oliveiras;
Chef André Simões, restaurante Cilantro, Hotel Hilton Vilamoura;
Chef Jan Stechemesser, restaurante À terra, Praia Verde Boutique Hotel;
Chef Osvalde Silva, restaurante O Pescador, Sheraton Algarve Hotel;
Chef José Leitão, restaurante Moonlight, Salgados Grande Hotel;
Chef Ricardo Ferreira, restaurante Pepper’s Steakhouse, Hotel Tivoli Marina Vilamoura;
Chef Bruno Rocha, restaurante EMO, Hotel Tivoli Victoria.

quarta-feira, 7 de Maio de 2014

82 pretextos para ir às praias algarvias


Créditos fotográficos: Hélio Ramos


Podíamos dar-vos apenas um bom argumento para procurarem as praias do Algarve: são as melhores da Europa. Em vez disso, decidimos apresentar-vos nada mais, nada menos do que 82 pretextos. É que este ano a região vai ter bandeiras azuis hasteadas em 82 zonas balneares (mais 13 do que no ano passado) e por isso será ainda mais apetecível para todos os que têm o hábito de estender a toalha nos nossos areais e mergulhar de cabeça na água do Atlântico. A Bandeira Azul é um símbolo europeu de qualidade e de segurança para os banhistas atribuído pela Associação Bandeira Azul da Europa a quem cumpra um conjunto rigoroso de requisitos. Significa isto que quase todas as praias algarvias o conseguiram. Uma notícia redondinha de orgulho para nós, sobretudo porque o Sol e Mar é o nosso principal produto turístico.  


quarta-feira, 23 de Abril de 2014

10 coisas fantásticas para fazer no Algarve

Créditos fotográficos: Hélio Ramos e Luís Brito (flamingos)

O guia de viagens My Destination preparou um top com 10 experiências fantásticas no Algarve para turistas. Bem, e para residentes também (afinal, não há nada melhor do que ver o destino turístico com olhos deslumbrados de visitante). Nesta lista cabem cegonhas, doces finos, praias, peixe assado, um slide transfronteiriço sobre o rio Guadiana e outras coisas incontornáveis para quem quer tornar sua esta região. E mais não dizemos. O resto está aqui.

quinta-feira, 17 de Abril de 2014

O que fazer nas mini-férias da Páscoa?

Se já estão por cá ou se ainda vêm a caminho do Algarve para gozarem de umas (bem merecidas) mini-férias na Páscoa, não desviem os olhos deste post. Vamos atrever-nos a meter o bedelho no vosso tempo, mas a causa é nobre: temos sugestões para ocuparem estes dias e o roteiro foge ao habitual, para que cada passagem pela região seja diferente e encha o coração de momentos felizes. São três ideias. Três. Simbologia à parte, o número não podia ser mais perfeito… 


Créditos fotográficos: Suzana Costa (www.flickr.com/photos/omeuolhar)

1. Escolher Tavira. Passear por Tavira. Comer em Tavira. Ir à praia em Tavira. O conselho parte de um enormíssimo fã deste município algarvio, Nelson Carvalheiro, o português de 32 anos que recebeu há pouco o prémio de blogger europeu do ano durante a Feira Internacional de Turismo em Madrid. Pois bem, ele resolveu dedicar um artigo inteiro a Tavira, enumerando 10 motivos que tornam o concelho o melhor destino para as férias de verão. E, já agora, para as da Páscoa também, acrescentamos nós. 


Créditos fotográficos: www.facebook.com/freguesiadecachopo

2. Procurar o Algarve serrano, seguindo as pistas da “Visão Sete”, mas mantendo-nos em Tavira. O itinerário pensado para fugir ao rebuliço do litoral é Cachopo, uma freguesia pequerrucha com pouco mais de 700 habitantes e menos de 20 mil hectares. O que lhe falta em tamanho, sobra-lhe em encanto, garante a publicação, que escreve: “[…] sente-se aqui um verdadeiro ‘modo de vida serrano’, personificado nos saberes tradicionais dos ferreiros, albardeiros, tecedeiras e outras profissões em vias de extinção […]”, ainda bem vivas neste recanto algarvio. 


Créditos fotográficos: Hélio Ramos

3. Assumir que a praia faz sempre parte dos planos e tentar a sorte, mesmo em abril, de dar um mergulho cheio na praia do Monte Clérigo, em Aljezur. A sugestão é novamente da “Visão Sete”, embora a aldeia piscatória com o mesmo nome ganhe aqui outra dimensão e mereça igual atenção por parte da revista. É uma das estâncias balneares mais conhecidas da Costa Vicentina e tem ar de postal ilustrado. Compreende-se então que ela encerre a lista de atividades. Não? Vão visitá-la e depois logo dizem…

segunda-feira, 14 de Abril de 2014

Diocese promove Semana Santa no Algarve



A Semana Santa, que começou ontem (Domingo de Ramos) e se prolonga até ao Domingo de Páscoa (dia 20), é a celebração mais importante para os cristãos e um ponto alto do turismo religioso no país… e na região!

“No Algarve, as celebrações de toda a Semana Santa, particularmente as de Sexta-feira Santa, Sábado Santo e Domingo da Ressurreição, multiplicam-se pelas 80 paróquias, assumindo particular destaque as que ocorrem na catedral de Faro, por serem presididas pelo bispo D. Manuel Quintas”, informa o jornal diocesano Folha do Domingo.

E é a pensar nos residentes e os turistas que querem participar nas celebrações da Semana Santa que este ano a Diocese do Algarve disponibiliza online os horários das celebrações em todas as paróquias algarvias.

quinta-feira, 10 de Abril de 2014

Trivago diz que Algarve é destino de eleição na Páscoa

Praia de Santa Eulália, Albufeira (créditos fotográficos: Hélio Ramos)

O motor de busca de hotéis trivago acaba de divulgar os 10 destinos nacionais mais procurados pelos turistas estrangeiros para a Páscoa e seis deles estão no Algarve!


“O Algarve é claramente a região portuguesa mais popular [na Páscoa] entre os estrangeiros, sendo que seis dos 10 destinos nacionais mais procurados se situam na costa sul do país: Albufeira, Vilamoura, Portimão, Lagos, Carvoeiro e Faro”, lê-se no comunicado.


Albufeira, juntamente com Lisboa e Londres, também está entre os destinos preferidos dos portugueses nas férias de Páscoa segundo as pesquisas efetuadas no trivago. O motor de busca integra mais de 120 milhões de opiniões sobre hotéis e é consultado por mais de 45 milhões de visitantes todos os meses.


terça-feira, 8 de Abril de 2014

Férias de Páscoa? No Algarve, claro


Créditos fotográficos: Algarve Seafaris


A propósito da Páscoa, a Notícias Magazine do último domingo fala em férias dentro do país para os crescidos. São seis programas à medida dos que vão aproveitar esta época festiva para dar outra utilidade ao tempo, como descansar... ou não. Românticos, aventureiros, pais de família, caminheiros e gastrónomos: todos os perfis encaixam nas atividades propostas pela revista para a próxima semana. Uma delas passa-se no Algarve, porção de território cobiçada por todos para uns dias plenos de ócio (sobretudo quando a temperatura ameniza). Diz-nos então a publicação que uma boa experiência pascal será ficar alojado no Aquashow Park Hotel, em Quarteira, e passear num barco com fundo de vidro pela costa do barlavento na companhia de golfinhos. Os encalorados podem aproveitar a oportunidade para dar o primeiro mergulho do ano, mas sem nunca esquecerem os tradicionais folares, ovos de chocolate, amêndoas e procissões nos seus planos. 

Com previsões meteorológicas favoráveis – parece que os termómetros vão estar acima dos 20 graus e o sol bem no alto a acompanhar esta Páscoa – e com a certeza de que o Algarve será um dos destinos mais procurados (os hoteleiros algarvios esperam um crescimento na taxa de ocupação, segundo os resultados de um inquérito da Associação da Hotelaria de Portugal), só podemos estar contentes. Mas para a felicidade ser total, ainda faltam cá vocês… Aqui vos esperamos, então.

quarta-feira, 2 de Abril de 2014

No Algarve, as estrelas estão na mesa




É bom saber que sempre que a fome aperta há sítios para satisfazer os caprichos da barriga no Algarve, e com o requinte que a circunstância pede. O crítico de restaurantes da Visão Manuel Gonçalves da Silva elegeu 5 imperdíveis na região, entre outros 20 do país. As escolhas recaíram sobre os espaços estrelados pelo Guia Michelin 2014, aqueles que, à exceção do São Gabriel, se viram incluídos nesta cobiçada publicação que dita onde comer com a qualidade que os deuses do Olimpo exigiriam. Quais são eles afinal? Henrique Leis (Almancil), Vila Joya (Albufeira), São Gabriel (Almancil), Willie’s (Vilamoura) e Ocean (Porches). Qualquer um merece uma visita gastronómica demorada pelo menos uma vez na vida, recomenda o especialista da Visão, para que se fique a conhecer o conceito de cozinha bela, técnica e inventiva.

segunda-feira, 24 de Março de 2014

Caminhar, contemplar e comer em Sagres




A revista Fugas do último sábado adaptou o título do livro “Comer, Orar, Amar” de Elizabeth Gilbert para falar sobre a sua passagem por Sagres, o extremo sudoeste europeu que tem mais encantos do que habitantes (são pouco mais de dois mil). O que a publicação sugere então aos leitores é que rumem à histórica vila algarvia e caminhem pelo Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina, contemplem a paisagem pacífica ricamente colorida ou o pôr-do-sol visto do cabo de São Vicente e comam os pratos de peixe que este lugar junto ao mar oferece. Entre o nome do livro e o da reportagem mudam dois verbos, mas enquanto Elizabeth viajou até à Itália, Índia e Indonésia para se descobrir, a jornalista da Fugas seguiu um caminho bem mais próximo – Sagres – onde também se revelou possível sentir o "maravilhamento" pela vida.

quinta-feira, 20 de Março de 2014

Algarve é tema de capa da revista UP





Fundamental, essencial, elementar – é tudo o mesmo para dizer que há coisas incontornáveis quando procuramos a região algarvia para férias. A pensar nisso, a revista UP criou o pacotinho dos "10 básicos do Algarve" (ou de tudo o que pertence ao domínio do inevitável, como saltitar nas nossas pistas de dança ou estender a toalha nas nossas praias) onde cabem 100 sugestões para viver, e não apenas ocupar, o tempo entre nós. O tema de capa da revista da TAP em março é então o Algarve num estado de graça primaveril, com experiências formatadas para todos os gostos, serra fora ou mar adentro, numa “autêntica algaraviada em que vale tudo”, escreve a publicação. São 29 páginas generosas de texto e imagens sobre este destino turístico que merecem ser lidas de fio a pavio. E, já agora, aproveitem para assinalar as atividades e os lugares que mais vos chamarem a atenção para o momento em que o vosso apetite por Algarve gritar bem alto: assim vão diretos à oferta que mais tem a ver convosco quando estiverem por cá.

terça-feira, 18 de Março de 2014

TripAdvisor «Traveler’s Choice 2014»: Algarve tem as melhores praias de Portugal

Praia da Falésia, Albufeira (© Hélio Ramos)

Já vai sendo um hábito, mas sabe sempre bem estar em primeiro: oito praias algarvias acabam de ser eleitas entre as 10 melhores de Portugal e a praia da Falésia, em Albufeira, mantém-se entre as 25 melhores da Europa. O anúncio acaba de ser feito pelo TripAdvisor, que revelou os «Traveler’s Choice 2014».

E se a Falésia é a única praia portuguesa no ranking das melhores praias europeias  liderado pela paradisíaca Isola dei Conigli, no mar Mediterrâneo , o Algarve tem oito dos 10 melhores areais no ranking português: Falésia, Albufeira (1.º lugar), Dona Ana, Lagos (2.º), Olhos d’Água, Albufeira (3.º), Meia Praia, Lagos (4.º), Praia da Rocha, Portimão (5.º), Marinha, Lagoa (8.º), Galé, Albufeira (9.º) e Odeceixe, Aljezur (10.º).

© Hélio Ramos

O «Traveler’s Choice» é elaborado com base nas escolhas dos utilizadores do TripAdvisor, o maior site de viagens do mundo, a operar em 34 países e com mais de 260 milhões de visitantes únicos por mês.

terça-feira, 11 de Março de 2014

Os melhores campos para dar tacadas





Agora o golfe. A revista norte-americana Golf Digest decidiu explorar todos os continentes em busca dos melhores greens do mundo, num total de 205 países analisados. A lista divulgada em fevereiro mostra-nos que existem mais de 33600 campos à superfície da Terra e que metade deles estão nos Estados Unidos da América (15620). Portugal contabiliza 90, número engordado pelo Algarve, já que a região concentra 40 campos nos seus 4996 quilómetros quadrados. Entre os portugueses escolhidos para constar no ranking desta revista (que é nada mais que uma das publicações mensais da especialidade mais lidas do planeta) estão cinco algarvios: o Monte Rei, em Vila Nova de Cacela, o San Lorenzo, na Quinta do Lago, o Quinta do Lago Sul, o Oceânico Old Course, em Vilamoura, e o Quinta de Cima, em Vila Nova de Cacela. A encimar a boa notícia, a Golf Digest ainda coloca o Monte Rei em primeiro lugar nos "dez mais" do nosso país. Conclusão: o Algarve é mesmo um dos destinos de sonho mundiais para quem joga golfe.

quinta-feira, 6 de Março de 2014

Uma mão cheia de razões para marcar férias no Algarve



Créditos: Katie e Geoff


Parece que as listas estão na moda e como não queremos contrariar tendências, aqui fica mais uma para a coleção das que enumeram razões para visitar o Algarve. Essas razões são cinco, expostas num blogue pelo casal canadiano Katie e Geoff Matthews para incentivar os seus conterrâneos a procurarem outras paragens em Portugal além de Lisboa ou do Porto, e nós concordamos com todas. Há arquitetura (as chaminés tradicionais algarvias) no topo da lista, mar e praias, serra e montes cobertos de verde onde soam os balidos das ovelhas e cabras que aí pastam, vilas e cidades encantadoras e História – com “H” maiúsculo – que conta o legado dos povos que em tempos se fixaram na região. É uma mão cheia de motivos que prometem fazer mover até os mais pachorrentos rumo a este destino de férias que, comprovadamente, tem interesse o ano inteiro.

quinta-feira, 27 de Fevereiro de 2014

10 motivos para visitar Silves






Mesmo que eles sejam muitos mais, há pelo menos 10 bons motivos para visitar Silves. A escolha não é nossa: foi feita pela Kerry e pelo Oisin, editores do “microguia” em linha Bravo Your City que se embrenharam nas atrações rurais e mais exclusivas deste concelho do Barrocal algarvio para nos convencerem de que há encanto além da costa. Percorrer trilhos naturais labirínticos a bordo de buggies, dormir numa roulotte cigana e petiscar no restaurante O Alambique são algumas das experiências imperdíveis quando pensarem em passar por Silves, dizem os editores. Nós já ficámos cativados (e olhem que estamos cá todo o ano…).

terça-feira, 18 de Fevereiro de 2014

Escapadinha gastronómica em Monchique




Faltam 10 dias para a Feira dos Enchidos de Monchique (e isso já é motivo suficiente para nos deixar aos pulinhos de contentamento), mas ao que parece não somos os únicos a desejar que o tempo corra para fincarmos o dente no pão quente acompanhado por chouriço. É que a feira está em destaque num artigo da revista QTRAVEL e serve de pretexto para levar os espanhóis até ao melhor deste município algarvio. Há serra, ar puro, tradição e boa comida neste roteiro de oito parágrafos que termina a aconselhar um pudim de mel aos mais lambões.

quarta-feira, 12 de Fevereiro de 2014

Algarve, um destino de férias perfeito!



Uma das últimas dicas de viagens do Trip and Travel Blog é sobre os 7 países perfeitos para umas férias de verão em 2014 e Portugal é um deles. Adivinham porquê?

Itália, Espanha, Chipre, Grécia, Egipto e Turquia são as outras sugestões do blogue de viagens e turismo, a que se junta Portugal: “um excelente destino para quem procura sol, belas praias, perfeito para famílias, onde o pai pode desfrutar de uma partida de golfe (…), a mãe de um tratamento de spa e as crianças podem construir castelos de areia na praia”.

Por fim, a editora do Trip and Travel Blog informa que “um dos principais destinos para as férias de verão em Portugal é o Algarve, onde se pode ter tudo isto”. Isto e muito mais, dizemos nós com orgulho!

quarta-feira, 5 de Fevereiro de 2014

Cinco razões para celebrar o Dia dos Namorados no Algarve

Já pensaram que este ano o Dia dos Namorados se assinala numa sexta-feira e que isso pode ser uma excelente desculpa para rumar ao Algarve e desfrutar de um fim de semana romântico?

Foi pensando nessa possibilidade e sabendo que no Algarve não faltam motivos românticos que decidimos apresentar-vos cinco sugestões para experimentar a dois. Claro que a lista pode ser bem maior e provavelmente serão vocês mesmos a aumentá-la.

Para já, como ponto de partida, aqui ficam as nossas escolhas.

1- A pousada do palácio de Estoi
Situa-se na aldeia de Estoi, no concelho de Faro, e parece saída de uma história de encantar. A pousada do Palácio de Estoi que resulta da recuperação de um antigo palácio do século XVIII é sem dúvida uma escolha romântica para passar um fim de semana enamorado.


Créditos fotográficos: Pousadas de Portugal


2- A praia
Uma praia é sempre um cenário romântico e nesta matéria o Algarve dá cartas. De verão ou de inverno, para estender as toalhas lado a lado ou para caminhar de mãos dadas, para desenhar corações no areal ou segredar palavras doces ao ouvido, qualquer uma das praias algarvias será sempre uma escolha acertada.


Créditos fotográficos: Siel Wellens


3- A Fóia
Subir ao ponto mais alto do Algarve e contemplar a paisagem que se estende a perder de vista pode ser uma experiência inesquecível. Mais inesquecível ainda se for partilhada com a nossa alma gémea. O destino é a Fóia, no concelho de Monchique.


Créditos fotográficos: Ryan Digers


4- A ria Formosa
Um passeio de barco na ria Formosa é uma sugestão que permitirá celebrar o amor em contacto direto com a natureza. A partir de Faro são várias as empresas que proporcionam passeios de barco com observação de fauna e flora. Vale a pena experimentar.


Créditos fotográficos: Animaris


5- O pôr-do-sol em Sagres

O que é que pode haver de mais romântico do que assistir ao pôr-do-sol? É assistir ao pôr-do-sol em Sagres. Aí, no extremo sudoeste da Europa, com uma paisagem de cortar a respiração, o astro-rei declina como em nenhum outro lugar.


Créditos fotográficos: Vanda Rita

terça-feira, 4 de Fevereiro de 2014

Praia da Arrifana entre as "Europe's Best Hidden Beaches"

Praia da Arrifana, Aljezur (foto © Hélio Ramos)



Não gosta de partilhar o seu quinhão de areia com milhares de outros amantes do sol? O exclusivo site norte-americano de viagens Jetsetter sugere, então, uma visita à praia da Arrifana, em Aljezur.

A praia algarvia surge entre as dez melhores praias escondidas da Europa, zonas costeiras isoladas e enseadas secretas, ao lado de praias em destinos como Maiorca, Ibiza, Atenas, Córsega, Turquia ou Croácia.

Conta o Jetsetter que ao longo do tempo as ondas do Atlântico esculpiram no Algarve “algumas das mais belas praias da Europa”, tais como a Arrifana, na costa Vicentina, uma praia “relativamente pequena” que é “um paraíso para os surfistas” e onde não faltam outros atrativos, como o marisco acabado de apanhar.

Europe's Best Hidden Beaches

  1. Es Trens, Maiorca (Ilhas Baleares)
  2. Formentera, Ibiza (Ilhas Baleares)
  3. Arrifana, Algarve
  4. Calanques, Provença (França)
  5. De Vouliagmeni a Sunião, Atenas (Grécia)
  6. El Saler, Valência (Espanha)
  7. Praia Pinarello, Córsega (França )
  8. Ilha de Vis (Croácia)
  9. Vale das Borboletas (Turquia)
  10. Enseada Kynance, Cornualha (Reino Unido)