quinta-feira, 28 de outubro de 2010

O mistério das lulas desaparecidas


Por Francisco Freire
[Técnico de Turismo - Faro]

O Algarve é actualmente o principal solar do cão de água português, uma raça que bem recentemente andou nas bocas do mundo por ter sido a escolha do Presidente dos Estados Unidos da América, Barack Obama, para animal de companhia das suas filhas. O cão de água português foi durante muitos séculos usado como auxiliar na faina da pesca.

Nadador, mergulhador exímio e resistente é inseparável companheiro do pescador a quem presta inúmeros serviços, tanto na pesca como na guarda e defesa do seu barco e propriedade. Durante a faina da pesca, atira-se voluntariamente ao mar para apanhar e trazer o peixe escapado das redes, mergulhando se for necessário, e procedendo da mesma forma se alguma rede se parte ou algum cabo se solta.

Há mais de vinte anos quando se verificava um reduzido número de exemplares da raça, o Guiness Book of Records chegou a considerar o cão de água português como o mais raro do mundo, chamando a atenção de muita gente para esta raça extraordinária de cães pescadores, corajosos e dóceis, inteligentes e combativos, afectuosos e alegres.

Pessoalmente tenho em casa o vivo testemunho de todos estes atributos. Se há cão inteligente é sem dúvida o meu cão de água, o Marujo.

Há dois ou três anos atrás a minha mãe foi fazer umas compras ao mercado e quando regressou a casa, entre outras coisas trazia um saco de lulas que colocou na bancada da cozinha. Passados alguns minutos deu pela falta do saco e pensou logo que teria sido o Marujo que sorrateiramente as teria roubado. Procurámos por toda a casa algum vestígio das lulas e perguntámos ao Marujo para onde as teria levado. Ele abanava muito o rabo e dirigia-se para a cozinha. À vista não estavam.
A minha mãe insistia que as tinha deixado em cima da bancada e que elas não estavam lá. O Marujo insistia em abanar o rabo e em apontar caminho para a cozinha.

Depois de várias e inúteis voltas pela casa, lembrei-me de repente de abrir a arca congeladora existente na cozinha e lá estava o saco das lulas.
Confronto a minha mãe com a situação que teima que as deixou em cima da bancada.

Fantasmas?

Amnésia?

Querem ver que foi o Marujo que as guardou na arca?

É que o Marujo, de verdade, costuma acender e apagar as luzes de casa e até abre e fecha portas.
O certo é que a minha mãe nunca reconheceu ter sido eventualmente ela a colocar as lulas na arca congeladora e o Marujo, até hoje, não confirma nem desmente qualquer proeza que pudesse ter feito.
Marujo (cão de água português)

3 comentários:

  1. Fátima Catarina28/10/10, 12:07

    O seu cão é lindíssimo!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    ResponderEliminar
  2. O cão é lindo e é com certeza muito inteligente...
    Parabéns!!!!!!!!!!!!!!

    ResponderEliminar
  3. O teu cão é lindo e é com ceteza muito inteligente...
    Parabéns!!!!

    ResponderEliminar