quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Que grande imbróglio...


Por Luis Nadkarni
[Monitor de desporto ]

Quando criança, no ano de 1968 acompanhei os meus pais numa viagem a Fátima por altura das celebrações do 13 de Maio. Na comitiva de peregrinos algarvios destacava-se o Bispo do Algarve, entre outros sacerdotes e leigos.
Assisti às cerimónias e, no Domingo de manhã, durante a Eucaristia, resolvi deambular pelas arcadas do Santuário. Quando dei por mim estava no meio de um grupo de espanhóis que, vendo ali uma criança sozinha, ficaram naturalmente preocupados e um deles perguntou-me onde estava o meu “padre". Apontei imediatamente para o Bispo do Algarve e disse: "o meu padre está ali!"

Paço Episcopal - Faro
Os espanhóis repetiram várias vezes a pergunta à qual eu respondia, com uma tremenda convicção, apontando na direcção do Bispo. Não sei o que terá passado pela cabeça dos espanhóis mas provavelmente questionaram o celibato de tão ilustre personagem...
Entretanto, chegaram os meus pais que andavam, havia já largos minutos, à minha procura e tudo ficou finalmente esclarecido. “Padre" em espanhol é “pai" em português.

O imbróglio tinha terminado.

Paço Episcopal - Faro

Sem comentários:

Enviar um comentário