sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

Amor na Ria Formosa


Por Moema Silva
[Jornalista - Lisboa]

A história que aqui se relata tem direitos de autor reservados e é fielmente inspirada em emoções verdadeiras. Sei que parece mesmo um guião de telenovela, mas isso é porque a vida imita a arte e vice-versa. Fala de um parzinho romântico que se conheceu durante umas férias de Verão no Algarve. Eram ainda uns miúdos, mas já haviam entrado naquela fase da adolescência em que as hormonas gritam. Ela ficava sem ar de cada vez que via aquele rapaz bronzeado, de cabelo loiro comprido e olhos azuis, a mergulhar no mar. Ele estava encantado com a doçura e a ousadia daquela menina que nadava como uma sereia. O resto ficou por conta do belo cenário da Ria Formosa, dos dias preguiçosos passados sob o sol, das carícias trocadas por entre as dunas, na areia. Nas noites de céu estrelado, passeios e cantorias ao luar, afastavam-se do grupo de amigos para saborear os primeiros beijos. Descobriram o gosto da pele um do outro e sonharam ficar juntos para sempre. Foi um romance conturbado por castigos e proibições, tipo Romeu e Julieta. (Quase um clássico drama algarvio!). Ela morava em Lisboa e pertencia a uma “família de doutores”, como se dizia na época. Ele havia nascido e crescido ali mesmo, entre os pescadores da Ilha do Farol. Para ela, estudar, viajar e ter muitas aventuras, era dado garantido. Para ele, isso representaria uma luta de sobrevivência no futuro.
Findas as férias, despediam-se em lágrimas, prometendo trocar cartas e poemas. Até que o mundo os afastou. Guardaram uma recordação intensa dessa estreia no maravilhoso e imprevisível universo do amor. Seguiram rumos diferentes, tiveram experiências diversas. Nunca mais se viram. E, três décadas depois, ela recebeu uma mensagem via internet… Era ele, dizendo que a procurara por todo o lado e nunca a havia esquecido. O reencontro foi inevitável. Que mulher resiste a um homem que abre o coração e confessa ter sido ela a grande paixão da sua vida? Seguiu-se a redescoberta dos sentimentos antigos. Depois, veio o desejo. Corpo e alma unidos numa comunhão até então inédita entre ambos. Tomados pelo arrebatamento da juventude, chegou a ansiedade madura de recuperar o tempo perdido. O que fazer com esta segunda oportunidade que lhes foi reservada pelo destino?
A resposta está nos próximos episódios desta novela da vida real. O final feliz vem já a caminho! Esperam pelo próximo Verão para regressar à sua ilha, envoltos num eterno abraço com cheiro a maresia.


Ilha do Farol

8 comentários:

  1. Não é justo, fiquei aqui com imensa curiosidade!!!
    Espero que sejam breves, abraços muitos doces e espero que o casal esteja MUITO feliz
    Com carinho e ternura
    Sairaf

    ResponderEliminar
  2. Minha querida amiga Moema, mais vale tarde do que nunca, para ouvir esta história lindissima.
    Na paz das minhas férias, em casa, com música, livros e escritos, foi um prazer ler a tua história...Quero mais, queremos mais...
    Beijinhos grandes
    João Lima

    ResponderEliminar
  3. http://www.facebook.com/home.php?#!/nosporca.faro

    Nós por cá...em Faro, somos uns eternos românticos. Deve ter a ver com o sol, com o mar, com as noites calmas, com o cantar dos pássaros ou dos grilos, com os cheiros do ar...Nada melhor que uma boa história de amor e ainda por cima verdadeira, para nos encher o coração.
    Bom fim-de-semana a todos, com votos de muitas histórias de amor....

    ResponderEliminar
  4. Sim, ele existe...o amor verdadeiro, o final feliz, o presente feliz, o rapaz bronzeado, o sonho realizado...Sim, elas existem...as emoções verdadeiras, as sereias encantadoras, os eternos românticos recuperando com justiça o tempo perdido...que história comovente e encantadora...não sei quem tem mais sorte, os personagens em questão ou eu por testemunhar duplamente que essas coisas realmente acontecem.
    beijos comovidos
    Norton

    ResponderEliminar
  5. Fantástico!
    No ano de 1986 idealizei uma peça para bailado moderno tendo inclusivamente começado a escrever o guião e o envolvimento musical, tendo no entanto abandonado a ideia.
    O tema do guião era precisamente uma situação como acabou de nos contar, passada num local do Algarve com dois protagonistas principais, muito mar, muita areia, muito sol, gente do mar...e muita paixão.

    ResponderEliminar
  6. É, realmente, uma história de amor fantástica. A realidade supera a ficção. Muitos beijos aos dois!

    ResponderEliminar
  7. Como é possivel não ficar comovido com uma história de amor veraddeira. Principalmente, quando o par merecia esta segunda oportunidade e muito mais. Boa sorte aos dois e um lindo regresso à ilha no verão.

    ResponderEliminar
  8. Moema Silva, independentemente da data atrasada deste "comentário" o interesse verdadeiro é mesmo o contacto direto com a Moema e o tema é Jornalismo. Apenas isso... o que não significa que não tenha ficado curioso com o post presente !

    ResponderEliminar