quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

Tradições dos Reis


Por Turismo do Algarve

Em véspera do Dia de Reis, partilhamos aqui algumas tradições que muitos poderão desconhecer. Para isso socorremo-nos da obra “Natal no Algarve - raízes medievais”, da autoria do Padre José da Cunha Duarte.

“O Dia de Reis (6 de Janeiro) era dia santificado. Ainda hoje alguns países celebram neste dia a festa mais importante do Natal.
Muitas famílias algarvias, da zona marítima e urbana, davam nesta noite as prendas de Natal aos filhos. Como não havia o costume de oferecer brinquedos, as crianças recebiam uma laranja, bolotas veladas, uma libra de chocolate ou castanhas.
A ceia era semelhante à do Natal. Entre as iguarias natalícias encontram-se trutas ou empanadilhas, filhós, bolinhóis, fatias douradas com açúcar e canela.
(…)
No Barrocal (…), era costume deitar três bagos de romã ao fogo para que este se mantivesse aceso durante o ano; três bagos de romã na bolsa do dinheiro para que ele nunca faltasse; três bagos de romã dentro da bolsa do pão ou no saco da farinha, para que nunca faltasse o pão ao longo do ano.”

Na tradição do Reis, esta é a noite dos cantares das Janeiras, com grupos que iam de porta em porta desejando um bom ano. Se já poucos o fazem desta forma, há porém um renovar destas tradições com os encontros de Charolas, em espectáculos que se realizam um pouco por toda a região algarvia nestes primeiros dias do ano.


3 comentários:

  1. Lembro-me da minha mãe guardar sempre algumas romãs para comermos na noite de Reis. Segundo ela, devia comer-se romã para não se nos acabar o dinheiro e passarmos o ano sem dor de cabeça. Pensando bem uma e outra coisa só podem estar relacionadas. :)

    ResponderEliminar
  2. Na casa dos meus pais a tradição era outra: pendurava-se uma romã por trás da porta de entrada, para que nunca faltasse a comida durante todo o ano.
    Já agora permito-me acrescentar que a romã é o único fruto considerado sagrado por todas as grandes religiões, nomeadamente a cristã, a muçulmana e a budista, por ter 365 bagos, tantos quantos os dias do ano.
    É curioso também notar que na maioria das torres das igrejas católicas a romã surge como elemento decorativo, apesar de aparecer disfarçada por quatro folhas acrescentadas aos quatro lados das torres. A ideia era diferenciar as igrejas das mesquitas, nas quais a romã está bem visivel.

    ResponderEliminar
  3. Eu tambem tenho como tradicao comer uma roma no dia de Reis, tal como os meus avos me ensinaram: retirar a coroa da roma de modo a ficar com 3 bagos presos, que simbolizam saude, paz e amor, depois comer toda a roma sem deixar cair nenhum bago, para ter dinheiro durante o ano.
    E eu ja tenho na fruteira as minhas romas, a espera do dia de Reis!
    Sofia

    ResponderEliminar