terça-feira, 1 de março de 2011

Chocos com favas

Meu querido amigo e vizinho, você mete-me em cada sarilho!!!!
Primeiro foram as fotos do nosso Algarve antigo, antes dos explosivos anos setenta, depois as estórias desse mesmo Algarve antigo, ou mais moderno, fantasioso, lendário, mas sempre lindo, e como se isso não bastasse, desafia-me agora no campo da culinária. Poderia parecer que aí eu me iria sentir completamente à vontade, não é verdade? Mas não, querido amigo e vizinho, esse não é o meu assunto favorito, mas não resisto a contar-lhe mais uma estória, esta relacionada com “comida”, e a dar-lhe a respectiva receita.

Há uns anos atrás, talvez uns vinte e cinco, mais ou menos, eu trabalhava numa empresa de carros de aluguer sem condutor e entre todas as pessoas que comigo trabalhavam havia um senhor que nos lavava os automóveis com todo esmero e cuidado. Já não era muito novo mas a sua figura franzina dava-lhe um ar gaiato e eu gostava de conversar com ele, de ouvir falar de coisas antigas quando ele se dedicava a arranjar “bicicletas a pedal”. Como ele próprio se definia, o Sr. Chico era um homem “alpercatado”, que eu acho que queria dizer prevenido. Um dia, quando já nos preparávamos para ir para casa, o Sr. Chico disse-me:

Hoje, para o jantar tenho um bom petisco: CHOCOS COM FAVAS.

Escrevi CHOCOS COM FAVAS, em maiúsculas, para que tentem perceber o impacto, que essas palavras me causaram. Foi como se a vida tivesse andado para trás de repente. Há quanto tempo eu não ouvia tal coisa: CHOCOS COM FAVAS. Lembrei-me que esse era um prato que se costumava fazer na casa dos meus pais mas com o qual nunca mais tinha tido nenhum contacto. Não sei porquê, esse não era um prato habitual nos restaurantes, embora fosse típico de um Algarve um pouco mais antigo e, como tal, eu tinha esquecido que ele existia. Que saudades senti! E nesse mesmo dia, recorrendo a produtos congelados, cozinhei os meus CHOCOS COM FAVAS.

Esqueci-me de contar a cara feia que o meu marido fez quando lhe disse que o jantar ia ser CHOCOS COM FAVAS, mas gostou e ficou ainda a gostar mais, quando, com mais tempo, voltei a fazer o mesmo prato, com chocos frescos da nossa Ria Formosa e favas frescas de S. Brás de Alportel, como se fazia na minha infância, em casa dos meus pais.

Aí vai a receita.

Prontos para irem para o tacho

INGREDIENTES:
800 gramas de chocos
4 dentes de alho
1 cebola
40 gramas de margarina
1/2 decilitro de azeite
600 gramas de favas descascadas
30 gramas de bacon
1 colher de sopa de coentros picados
Sal q.b.


PREPARAÇÃO:
Lave muito bem os chocos e deixe-os a escorrer. Descasque e pique os dentes de alho e a cebola e leve a alourar com a margarina e o azeite. Junte os chocos bem escorridos e deixe cozinhar, tapado, sobre lume brando até os chocos estarem macios. Entretanto, coza as favas descascadas, em água temperada com o bacon e sal até estarem macias. Tempere os chocos com sal e junte-lhes as favas bem escorridas. Misture muito bem, disponha no prato de serviço e polvilhe com os coentros picados.




Por Ilídia Sério

1 comentário:

  1. Muito obrigada, consegui recuperar uma receita que já não sabia fazer. Um grande bem-haja pela divulgação da gastronomia regional

    ResponderEliminar