quarta-feira, 9 de novembro de 2011

Conrrado Wissman e o Grande Hotel Guadiana

Apesar de atualmente se encontrar encerrado, o Grande Hotel Guadiana, com a sua traça de estilo “Arte Nova” é um dos mais emblemáticos edifícios de Vila Real de Santo António. Marcou o turismo algarvio no princípio do século XX, tendo sido desenhado pelo arquiteto de origem suíça Ernesto Korrodi, construído entre 1918 e 1921 e inaugurado em 1923.
O seu primeiro diretor foi Conrrado Wissman e é sobre este decano dos hoteleiros que Luís Guerreiro escreve hoje nas “Memórias do Turismo do Algarve”.


Conrrado Wissman, nascido em 1859 em Nieder Rimsuigen, Alemanha, entrou em 1867, justamente um ano depois da sua fundação, para a União dos Hoteleiros Genebrina. Fixou residência em Lisboa na última década do século XIX, exercendo por diversos anos o cargo de Gerente do Bragança Hotel e Hotel Central de Lisboa. Durante este período fundou a secção de Lisboa daquela associação hoteleira. Graças à sua experiência profissional e ao prestígio adquirido entre o público português, entregou-se a um novo projeto, a abertura do Palace do Buçaco. De lá aumentou a sua atividade, sempre mais e mais, e auxiliado pelos seus sobrinhos, Conrado José, António Hermano e Augusto, todos sócios da União Genebrina, abriu, um por um, os seguintes Hotéis: Grande Hotel da Curia, o Palace Hotel e Metrópole Hotel de Lisboa e mais tarde o Hotel Caramulo.

Quando a indústria hoteleira ainda se achava numa fase incipiente e Conrrado com os seus cinco hotéis estava no auge da sua carreira, considerado o primeiro e melhor hoteleiro em todo o Portugal, respeitado mas também muito invejado, com os negócios a correrem-lhe bem, rebenta a primeira grande guerra, na qual o nosso país acaba por se envolver. O azar bateu à porta deste hoteleiro português de nacionalidade alemã: os cinco hotéis do sr Wissmam foram confiscados pelo governo português em pouco tempo, ficando mais de uma dezena de anos sem receber qualquer recompensa de prejudicado de guerra.
Durante o conflito foi deportado para Espanha com a sua família onde passou grandes dificuldades, não obstante possuir alguns recursos provenientes de uma vida de trabalho com sucesso.

Quando acabou a guerra, quem antes fora proprietário de cinco hotéis, aceita, com coragem, força de ânimo e grande resignação, um cargo num dos hotéis por ele fundado. Ele, a quem a guerra tirou todos os haveres, a quem o governo alemão, embora moralmente obrigado, não amparou, acabou por ser ajudado pelo empresário algarvio Manuel Ramirez que em 1923 abriu o Hotel Guadiana em Vila Real de Santo António e o convidou para o dirigir.

Conrrado Wissmam foi o decano dos hoteleiros portugueses, homem de rasgada iniciativa, extremamente afável, com um percurso de vida e de trabalho verdadeiramente notável.

Sem comentários:

Enviar um comentário