quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Robert Southey, o poeta inglês que chamou “paraíso” ao Algarve

Imagem retirada de Google Books


Bem antes do advento do turismo no Algarve, a região foi visitada no século XIX pelo poeta inglês Robert Southey que, nas suas cartas à mulher Edith, relatava a sua chegada ao “paraíso”.

Robert Southey (1774-1843), grande admirador de Portugal e da literatura portuguesa, visitou o nosso país por duas vezes, em 1795 e em 1800-1801. Nesta segunda ocasião viajou desde Lisboa até ao Algarve. Esta viagem é pormenorizadamente descrita nas cartas cujo conteúdo é publicado em 1849-1850 pelo seu filho Carlos Cuthbert Southey na obra “The life and correspondence of Robert Southey”.

O escritor britânico descreve assim a sua chegada ao Algarve:

“Por fim o mar apareceu, e o Guadiana, e as cidades fronteiriças de Ayamonte e Castro Marim; descemos, entrámos no jardim, o Paraíso do Algarve; aqui, os nossos problemas e trabalhos teriam de acabar (…).”

Tavira, Faro, Monchique, a Foia, Lagos, Sagres e o Cabo de São Vicente integraram também a viagem de Southey. Em Lagos, sem que se saiba bem porquê, o poeta foi preso. Por certo, a guarda da época não soube reconhecer o seu pioneirismo enquanto turista britânico no Algarve.


Um aspeto antigo do centro de Lagos - Gravura de Luís F.R. Santos numa edição da Região de Turismo do Algarve, 1997



1 comentário:

  1. O poeta Inglês Robert Southey que fez os três ursos e cachinho dourado, mas, antes de tudo, não era cachinho dourado, na sua 1ª versão foi uma senhora que invadiu a casa dos três ursos, então, admiro muito esse tal poeta inglês dou meus parabéns à ele, principalmente na narrativa :) !

    ResponderEliminar