sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

Luz, câmara… ação!

O Algarve é fotogénico: tem luz (muita luz), espaços cenográficos naturais e cultura. Por isso tem atraído o olhar das câmaras fotográficas e de filmar ao longo do tempo. E também por isso, hoje viramos a nossa atenção para a aventura cinematográfica na região. Observação: as pipocas aqui não entram.

Já muitos filmes – centenas – foram rodados no Algarve. O primeiro terá sido em 1913, com o nome "Pesca do Atum no Algarve". E consta que durante o Estado Novo a região serviu de cenário a cerca de 100 curtas-metragens e 16 longas. Depois de 1974, entram na contagem mais 40 longas-metragens, entre as quais uma do cineasta João César Monteiro, de 1986, que permaneceu inédita durante muitos anos. Falamos do filme "À Flor do Mar".

Sem espanto, e com a simpatia dos realizadores por este destino turístico, é criada a Algarve Film Commission em 2006, precisamente para impulsionar o cinema na região.

Mas como é que as localidades algarvias são usadas nos filmes? Descubram a resposta nesta pequena seleção que fizemos: seis projetos rodados integral ou parcialmente na região. E não podiam ser mais diferentes uns dos outros. Vamos espreitar os trailers?


"A Pesca do Atum", de Leitão de Barros, 1939.



"Os Índios da Meia Praia/Continuar a Viver", de António da Cunha Telles, 1976.



"À Flor do Mar", de João César Monteiro, 1986.



"Kiss Me", de António da Cunha Telles, 2004.



"El corazón de la Tierra", de Antonio Cuadri, 2006.



"Floripes", de Miguel Gonçalves Mendes, 2007.





Sem comentários:

Enviar um comentário