quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

Cão de água algarvio: corajoso, meigo e pescador exímio

O cão de água português – também conhecido como o cão de água algarvio – foi durante muito tempo um inseparável companheiro dos pescadores, a quem ajudava na pesca e na defesa dos seus barcos e propriedades.



Hoje, já pouco é utilizado como animal de trabalho. Raça autóctone com uma inteligência invulgar, os cães pescadores são corajosos, afetuosos, resistentes à fadiga e com um porte alegre e altivo, conferido pelo corpo robusto e musculado. Geralmente são pretos e uma das suas características específicas é a membrana interdigital que faz deles excelentes nadadores e mergulhadores.

Noutros tempos, o cão de água algarvio tinha lugar cativo entre a tripulação, sempre pronto e atento aos movimentos da faina, transportando mensagens de um barco para outro, para ir buscar as redes rasgadas ao mar ou puxar as cordas que prendiam os barcos em terra.

Apesar de tanta dedicação, os cães puros desta raça estiveram em vias de extinção há alguns anos, mas a Quinta de Marim, no Parque Natural da Ria Formosa, não deixou morrer a tradição e abriu um canil – entretanto desativado – para recuperar e reproduzir o cão de água algarvio.

Curiosidade:
A imensa amizade existente entre o animal e o dono fazia com que os cães de água, apesar de terem grande valor, nunca fossem vendidos mas sempre oferecidos, num gesto indicador de que estes dóceis caninos não tinham preço.

Sem comentários:

Enviar um comentário