terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

E que tal uma laranja?

A laranja algarvia constitui-se como uma verdadeira imagem de marca da região que é, desde os anos 60 do século XX, a principal produtora de citrinos em Portugal, representando cerca de 70% da produção nacional.


Para nós, portugueses, a laranja faz parte do nosso dia à dia e não nos damos sequer ao trabalho de pensar nem nas suas origens, nem no bem ou no mal que nos pode causar a sua ingestão.
No entanto nem sempre foi assim!
A laranja surge na Índia, propagando-se rapidamente a toda a Ásia e é na China que os navegadores portugueses a vão descobrir, trazendo-a para a Europa e divulgando-a junto das cortes europeias e das classes nobres.
De imediato a laranja se torna num produto de sucesso, não só pelo seu sabor, como principalmente pela sua cor. Sim, até essa altura a cor de laranja era desconhecida dos europeus e a laranja torna-se numa espécie cobiçada pela sua cor que começa a ser copiada por todos os bons pintores do século XVI, principalmente os da escola italiana. Os primeiros quadros em que aparece a cor de laranja são todos de origem italiana.
Contudo, são os franceses que acabam por descobrir a sua forma de reprodução e a partir daí, as laranjeiras começam a invadir os jardins de palácios e casas nobres europeias, tornando-se num foco de interesse e de conversa.
O passo seguinte é adaptar os paladares europeus a este novo sabor, que tanto pode ser muito doce ou doce, como até levemente ácido.
Portugueses e espanhóis, na sua época de expansão e colonização doutros continentes levam consigo as famosas laranjeiras, que se adaptam bem a outros climas, nomeadamente na América do Sul e no sul da América do Norte. Atualmente, a produção de laranjas tornou-se numa das principais fontes de riqueza da Califórnia ou da Florida, ou de países como o Brasil e a Argentina.

Quanto a nós, algarvios, a laranja faz parte dos nossos hábitos alimentares e pena é que não se desenvolva a sua produção de modo a aumentar a sua exportação como nos países atrás citados.



A qualidade dos citrinos do Algarve é reconhecida e resulta das condições edafoclimáticas da região, da existência de variedades com bom sabor e aroma agradável e ainda de uma colheita do fruto em adequado estado de maturação.

Por estes dias a laranja está em destaque no Algarve com a realização de eventos nos quais vos sugerimos a participação:

Festa da Laranja, de 7 a 12 de fevereiro, em Portimão (Mercado da Av. S. João de Deus). + informação aqui

Oficina do Gosto Slow – Os Citrinos, 09 de fevereiro , 18h00, em Loulé ( Centro Interpretativo dos Frutos Secos). + informação aqui.


Sem comentários:

Enviar um comentário