terça-feira, 5 de junho de 2012

Aguardente de medronho: sabor e espírito do Algarve



Os apreciadores da genuína aguardente de medronho têm agora maior facilidade de acesso aos produtores desta bebida espirituosa tradicional do Algarve já que podem encontrar os seus contactos no Roteiro das Destilas do Medronho de Monchique, uma recente edição da respetiva Câmara Municipal que pretende contribuir para a promoção e preservação deste produto.


Brilhante e cristalina, a aguardente de medronho oferece aroma e sabor únicos a fruto e tradição. É produzida segundo métodos ancestrais, passados de geração em geração, em toda a serra algarvia (Monchique e Caldeirão).

A apanha do medronho realiza-se durante o outono, de finais de setembro a finais de novembro ou dezembro, dependendo das condições do clima. Depois da apanha, o medronho fica a fermentar, ao abrigo do ar, em tanques de madeira ou barro durante um período que pode ir de um a três meses. Nessa altura está pronto para destilar, o que é feito em alambiques de cobre aquecidos por fogo de lenha. O processo leva várias horas até resultar em aguardente que se deve apresentar límpida e com um teor alcoólico que ronde os 45º. Depois pode ser envelhecida em cascos de carvalho, o que lhe irá conferir melhor qualidade.

A aguardente de medronho é usualmente consumida como digestivo e popularmente tem até fama de contribuir para uma vida longa e saudável, fazendo inclusivamente parte de mezinhas tradicionais.

Nós sugerimos o seu consumo com moderação. Simples ou em cocktails como aquele que nos é proposto pela Confraria do Medronho “Os Monchiqueiros” aqui.

Sem comentários:

Enviar um comentário