sexta-feira, 8 de junho de 2012

Algarve Natural – Percurso de Interpretação da Praia Grande

Para hoje sugerimos um passeio a pé pela Praia Grande, no concelho de Silves. Juntem a família, ou os amigos e venham bronzear-se numa praia algarvia...



Foto: João Eduardo Pinto 

Praia Grande – De lés a lés! 

Nome: Percurso de Interpretação da Praia Grande
Concelho: Silves
Acessos: Pela A 22 sair em Algoz, seguir em direção a Pera atravessando a EN 125. Depois de percorrer 300 m seguir à esquerda no cruzamento e, chegando a uma rotunda, virar na 2ª à direita.
Tipo de Percurso: Pedestre
Circular: Não
Distância: 5,5 km
Duração média: 2 h
Tipo de caminho: Caminho de terra e areal
Quando visitar: Todo o ano
Homologado: Não
Sinalizado: Não
Entidades responsáveis: CCDR-Algarve
Observações: Zona húmida de sapal e lagoa costeira. Avifauna. Cordão dunar. Pinhal. O regresso ao ponto de partida pode ser feito pela estrada principal de acesso à praia. Existe outro percurso na mesma área. 
 
 Foto: João Eduardo Pinto 

Percurso: 

O percurso tem início no estacionamento junto à praia. Chegando à Lagoa dos Salgados, para além do juncal, já se observam manchas de caniçal e de tabual, em particular junto da Ribeira de Espiche que aqui desagua. Este sítio é conhecido pela abundante avifauna, com espécies tão interessantes como o zarro-castanho, o camão, o colhereiro, o pernilongo, a garça-vermelha ou a chilreta. Regularmente pode-se observar grandes bandos de flamingos que utilizam esta zona húmida para descanso e alimentação. O percurso continua pela praia até ao passadiço de madeira que atravessa o cordão dunar. Este é o local mais interessante para observar a vegetação dunar, com espécies como o cardo-rolador, a eruca-marítima, o cordeiro-da-praia, a luzerna-das-praias, a perpétua-das-areias, o cravo-das-areias, a granza-da-praia e a joina-dos-matos, entre outras. Chegando ao ponto de partida e seguindo a direção poente é possível observar áreas de pastagem onde se misturam algumas árvores de sequeiro (alfarrobeira, amendoeira e figueiras) e núcleos arbustivos de aroeira. O percurso continua adjacente ao cordão dunar até à praia, seguindo na direção da Ribeira de Alcantarilha. Aqui, no sapal, pode-se observar as diferentes comunidades vegetais que se desenvolvem na zona húmida: juncais, matos halófitos e prados salgados mediterrâneos, que, juntamente com os bancos de vaza, apresentam elevado interesse conservacionista. Depois de atravessar esta zona de sapal avista-se uma área de pinheiro-manso que se encontra sobre uma arriba fóssil. O subcoberto é composto, sobretudo, por aroeira, palmeira-anã, trovisco, estrepes e tomilho-de-creta. O último troço deste percurso é realizado em zona de campos agrícolas de sequeiro com amendoeiras. Aqui ainda é possível observar moinhos e celeiros utilizados em tempos passados.

2 comentários:

  1. Não tenho a certeza absoluta, mas tinha a impressão que aquela zona da lagoa dos Salgados estava um bocadinho infestada de mosquitos.

    Podem informar se esta questão já está resolvida (ou se estou a fazer confusão..)

    obrigado,
    miguel
    Faro Algarve

    ResponderEliminar
  2. Miguel,

    Não temos conhecimento de tal situação. Pensamos que poderá ter sido uma ocorrência pontual provocada por determinadas condições climatéricas.

    ResponderEliminar