sexta-feira, 31 de agosto de 2012

Setembro chega com músicas do mundo

Músicas do mundo no centro histórico de Faro? Sim, é o que promete a segunda edição do Festival Adentro para os dias 07 e 08 de setembro, a partir das 22h00. O mês começa bem, com os ritmos dos grupos Pelevento, Patubatê, Rare Folk e Moya Kalongo, e a entrada ainda por cima é livre.


O Festival Adentro vai encher de agitação o largo D. Afonso III. Confirma-o o trio algarvio Pelevento e a sua música inspirada nos sons tradicionais da Europa, com honras de abertura do festival. E confirma-o também o grupo brasileiro Patubatê, especialista na mistura de instrumentos de percussão originais (baldes, latas, garrafas de água, tubos de escape, etc.) com música eletrónica.

No segundo dia, o cartaz apresenta ao público os andaluzes Rare Folk, e a sua sonoridade de fusão celta, folk e rock, e ainda os Moya Kalongo, grupo liderado pelo moçambicano Simonal Bié que tem como influência principal o Afrobeat. Mas atenção: nem só de música se faz o Festival Adentro.

Os concertos arrancam às 22h00, embora o espaço comece a fervilhar mais cedo (18h00), com as bancas do Mercado da Traça cheias de artesanato urbano, produtos regionais e artigos em segunda mão.


Fora do festival, mas ainda dentro da música, o mês de setembro marca também o regresso de Carlos do Carmo ao Algarve. «Carlos do Carmo canta Ary dos Santos» é o nome do espetáculo de homenagem do fadista ao poeta, para apreciar no dia 14, às 21h30, no Teatro Municipal de Portimão.


Entramos agora no desporto com o FIM Superbike World Championship a acontecer no Autódromo Internacional do Algarve, de 21 a 23. Esta será a última jornada da temporada, onde as decisões dos títulos estarão ao rubro.

No final do mês, entre os dias 28 e 30, o Algarve estará associado às Jornadas Europeias do Património, iniciativa anual do Conselho da Europa e da União Europeia que envolve 50 países em torno de um tema (o deste ano será «O Futuro e a Memória»). O programa estará brevemente disponível no sítio da Direção Regional de Cultura do Algarve.

E porque o corpo precisa de mimos, a Algarve Spa Week oferece-os. Depois da primeira edição em 2010, a iniciativa volta ao calendário de 29 de setembro a 06 de outubro com 50 por cento de desconto nos tratamentos de bem-estar e beleza e nas terapias alternativas dos hotéis de cinco estrelas aderentes. Para usufruir dos prazeres da iniciativa, basta consultar as 15 unidades participantes: Hilton Vilamoura, The Lake Spa Resort, Santa Eulália, Real Marina, Vila Vita Parc, Hotel Quinta do Lago, Crowne Plaza, Vila Monte, Tivoli Marina Vilamoura, Tivoli Vitoria, Longevity Wellness Resort, Dona Filipa Resort, Martinhal Beach Resort, Cascade Resort e Vilalara Thalassa Resort.

Passando para a escala das grandes proporções, continua a decorrer o FIESA em Pêra, o maior festival de escultura em areia do mundo. Este ano há ídolos feitos de grânulos e não será estranho, por isso, encontrar espalhados pelo recinto ao ar livre a Marilyn Monroe, o Cristiano Ronaldo, o Gandhi ou o Michael Jackson. O festival envolve 45 escultores, 35 mil toneladas de areia e 15 mil metros quadrados de área de exposição. Para visitar até ao dia 15 das 10h00 às 24h00 e entre 16 de setembro e 25 de outubro, das 10h00 às 20h00.

Todos estes momentos de animação estão integrados no programa «Algarve com Eventos», também disponível em www.visitalgarve.pt, que pretende juntar a programação das Câmaras Municipais e de outras entidades algarvias, divulgando-a num folheto comum que facilitará a pesquisa de quem procura o que há para fazer na região.

quinta-feira, 30 de agosto de 2012

Parque Natural da Ria Formosa

Todas as estações do ano são boas para visitar o Parque Natural da Ria Formosa, tal é a diversidade dos valores naturais e culturais que aí se podem encontrar!

Cobrindo cerca de 20 mil hectares de um sistema lagunar que se estende por 60 quilómetros de litoral, entre o Ancão (Loulé) e a Manta Rota (Vila Real de Santo António), é um labirinto de canais, ilhas, sapais e bancos de areia formados pelo depósito de sedimentos trazidos pelos cursos de água e pelo mar.


Se a razão da visita é botânica, a área é de grande interesse, especialmente pela vegetação das zonas de duna e sapal; se é do ponto de vista da fauna, o interesse não é menor, pois é lugar de passagem de aves migratórias entre o Norte de África e a Europa e local de invernada das aves provenientes do Norte e Centro do continente europeu. O caimão ou galinha-sultana é o emblema do parque e uma das espécies mais raras da Europa, vivendo apenas em Espanha e em Portugal, aqui na ria Formosa e na foz da ribeira de Quarteira. Flamingos, águias de asa redonda, galinholas e guarda-rios são outras aves que aqui podem ser observadas. Mas também se podem “espreitar” camaleões, habitantes privilegiados do parque, quase extintos na Europa!

Considerada uma das 7 Maravilhas de Portugal, a ria Formosa tem, também, uma importância económica de relevo devido à variedade de peixe, marisco e bivalves e à extração de sal em salinas. Sabiam que as salinas da ria são responsáveis pela maior parte da produção de sal marinho da região e cerca de metade do total nacional?

Mas se o motivo da visita é cultural, a sede do parque, em Olhão, oferece um percurso de três quilómetros, onde estão integrados vários pontos de interesse:

- uma estação romana do século IV, com vestígios de antigos tanques de salga de peixe;

- um moinho de maré;

- uma barca do atum (barca de transporte de atum, que levava o pescado às fábricas de conserva da área);

- observatórios de aves;

- Centro de Recuperação de Aves;

- Casa do Poeta João Lúcio.

Todas estas são razões suficientes para se partir à descoberta tranquila dos encantos do Algarve!



quarta-feira, 29 de agosto de 2012

Room with a view: #303 Grande Real Santa Eulália Resort & Hotel Spa

Foto: Miguel Rocha Fernandes/Dengun.

Quando a noite cai na praia de Santa Eulália, o céu transforma-se numa tela colorida e convida cada hóspede a tornar-se num artista. Sejam vocês os criadores de sonhos no quarto n.º 303 do Grande Real Santa Eulália Resort & Hotel Spa, em Albufeira.

Mais informações aqui.

terça-feira, 28 de agosto de 2012

Igreja matriz de Santa Maria do Castelo (Tavira)



Construída na segunda metade do séc. XIII, no local onde antes se situava a mesquita de Tavira, a igreja de Santa Maria do Castelo foi originalmente um edifício de estilo gótico, como comprova o portal ogival, mas sofreu estragos consideráveis aquando do terramoto de 1755, pelo que foi necessário proceder à sua reconstrução.

O projeto ficou a cargo do arquiteto italiano Francisco Xavier Fabri, que teve a preocupação de manter a estrutura original da igreja – três naves e quatro tramos –, tendo aproveitado a cabeceira e algumas capelas laterais, caso da Capela do Evangelho, de estilo gótico, e da Capela do Senhor dos Passos, de estilo manuelino mas revestida com azulejos do séc. XVII.

Relativamente à ornamentação interior, merece destaque a capela-mor, onde se vê um retábulo do início do séc. XIX de arquitetura simulada (pintada). Nas paredes laterais da capela-mor observam-se duas inscrições medievais que assinalam a presença do túmulo de D. Paio Peres Correia e dos seis cavaleiros que morreram na reconquista cristã de Tavira.

Igualmente interessantes são o retábulo da Paixão, de estilo rococó, e o retábulo neoclássico do batistério, que incorpora uma bonita pintura do final do séc. XVIII representando a assunção da Virgem Nossa Senhora, e cuja autoria se atribui ao italiano Corrado Guiaquinto.

A igreja matriz de Santa Maria do Castelo é monumento nacional e está aberta ao público de segunda-feira a sexta-feira das 10h00 às 17h00 e ao sábado entre as 10h00 e as 13h00 (exceto se houver cerimónias religiosas). A entrada no núcleo de arte sacra tem um custo de € 1,50.

segunda-feira, 27 de agosto de 2012

Os segredos de... Dina Sacramento


A Dina Sacramento é nossa colega e, para além de segredos, tem muitas histórias para contar. É ela que nos faz companhia, hoje.

Em Monchique, janeiro 2012

Eu, Dina nasci aqui mesmo. Nasci num inverno, que me disseram ter sido rigoroso… No Algarve… invernos rigorosos?... Só pode ter sido engano na informação que me deram!
Pais algarvios, avôs algarvios, tudo, mas tudo, foi nascido e criado neste pedacinho de terra, em casas bem ao estilo rural, com chaminés rendilhadas, telhados de telha e caniço que deixavam passar não só o pó mas também alguns bicharocos que caíam por descuido ou, de propósito, procuravam o fresco das habitações humanas. Uma varanda para secar os figos e as amêndoas. Muitas vezes um eirado para debulhar o trigo no verão e recolher a água dos telhados para a cisterna no inverno.
Brincadeiras sem fim à sombra das alfarrobeiras onde as crianças pediam a alguém maior para lhes “fazer uma ardoiça”, (balouço feito com uma corda, muitas vezes tirada à socapa das cabanas onde se guardava tudo o que era preciso para os trabalhos na terra e onde ficavam os animais quando não estavam com os seus donos nos campos) e onde se tinham casinhas de brincar, feitas com pequenas pedras para separar a”casa de fora” do quarto e da cozinha. Pedacinhos de louça partida para decorar ou a servir de utensílios para as variadas tarefas das donas de casa.

Escola Secundária João de Deus, antigo Liceu Nacional de Faro

Foi aqui, no Algarve, que aprendi das primeiras letras. Com alguma dificuldade, pais e avô mandaram-me estudar para o então chamado Liceu Nacional de Faro, que na altura já era bem bom. Como não fui muito preguiçosa deixaram-me acabar o ensino complementar (antigo 7º ano). 
Belas recordações …tenho desses anos. Algumas amizades prevalecem ainda hoje. Os primeiros namoricos, o livro de autógrafos que passava de mão em mão para toda a gente escrever uma dedicatória, as batas brancas com a fita a identificar o ano em que se andava…os contínuos que teimavam em não nos deixar sair do edifício.

  
No Algarve… Quando?

Desde 1956…. e sempre.

Um local memorável…?

Porque eu não sou muito amante de praia, um local que sempre me atraiu foi Monchique, mais precisamente as Caldas.
A natureza aqui é simplesmente maravilhosa! Árvores de grande porte, canteiros de pequenas flores, flores campestres, ervas aromáticas. Tudo o que eu queria ter no meu quintal!

A companhia ideal…?

Família, amigos, mas que sejam bem dispostos!
Animais também fazem boa companhia.

Algarve combina com…?

Sol quase o ano inteiro, temperaturas amenas, luar maravilhoso e mar, muito mar!

Um sabor do Algarve…?

No verão as sardinhas assadas com gaspacho, amêijoas fresquinhas, conquilhas. No inverno as papas de milho, as cataplanas, as caldeiradas.

O que não dispensa no Algarve…?

Não dispenso nada!...É tudo meu!


sexta-feira, 24 de agosto de 2012

Vamos longe cá dentro

Será possível fazer férias boas e baratas no nosso país? O Luís Ferreira e o David Carvalhão dizem que sim, e para prová-lo iniciaram ontem uma viagem de quatro dias a bordo de um BMW 116d EfficientDynamics, o carro mais económico de toda a gama da marca. Partiram de Ponte de Lima e chegam hoje ao Algarve. Vamos fazer-nos à estrada com eles?




São dois amigos com o objetivo comum de «promover não só o turismo interno, naturalmente mais económico e ecológico, mas também divulgar internacionalmente alguns dos mais belos locais, paisagens e monumentos, assim como a gastronomia ímpar que Portugal tem para oferecer», explicam no blogue que acompanhará a viagem em tempo real.

Estão no segundo dia do roteiro e em breve pisarão as terras algarvias. O primeiro ponto de paragem na região será Aljezur, concelho limitado pelo mar e pela serra. Segue-se no mapa Sagres, pitoresco porto de pesca associado aos Descobrimentos, Portimão e Faro, cidade de onde arrancarão no terceiro dia de jornada rumo a Castro Marim, o último concelho algarvio a merecer a visita da equipa «Vamos Longe Cá Dentro».

Depois do Algarve, Luís e David subirão pelo interior do país até Bragança, regressando a Ponte de Lima no dia 26. E tudo para provarem aos portugueses que «não é preciso gastar uma fortuna para fazer turismo em Portugal», revelam.

Sigam os pormenores do passeio aqui e descubram os sítios que os dois amigos decidiram espreitar no Algarve. Boa viagem!

quinta-feira, 23 de agosto de 2012

Já votaram no Algarve?



O Algarve está nomeado, uma vez mais, para a categoria de “Melhor Região de Turismo Nacional” dos Portugal Travel Awards, promovidos pelo jornal Publituris para premiar as melhores empresas, instituições, serviços e profissionais que se destacaram no setor do Turismo entre o último semestre de 2011 e o primeiro de 2012.


Do Algarve estão ainda nomeados:

- Vila Galé Lagos – Melhor Hotel de Quatro Estrelas

- Dom José Beach Club – Melhor Hotel de Três Estrelas

- Sheraton Algarve Pine Cliffs – Melhor Resort Hotel

- Martinhal Beach Resort & Hotel – Melhor Resort Hotel

- Hilton Vilamoura as Cascatas Golf Resort _ Melhor Resort Hotel

- Vilalara Thalasa Resort – Melhor Resort Hotel

- Auto Jardim – Melhor Rent-a-Car

- Monte Rei – Melhor Campo de Golfe

- Old Course – Melhor Campo de Golfe

- Onyria Palmares – Melhor Campo de Golfe

- Quinta do Lago Sul – Melhor Campo de Golfe

O Algarve aguarda o vosso voto! Ajudem-no a ser finalista em todas as categorias! A votação online decorre até 4 de setembro, em http://premios.publituris.pt/.


quarta-feira, 22 de agosto de 2012

Bilhete-postal: praia da Rocha



A praia da Rocha, um dos areais mais emblemáticos do país e o local de férias eleito por cada vez mais veraneantes, é talvez a praia mais retratada nos postais ilustrados que serviam de recordação das férias no Algarve. A imagem de finais dos anos 1970 ou início dos anos 1980 mostra-nos as belezas que deram fama à Rocha: um vasto e espaçoso areal protegido por arribas de tons quentes e harmoniosamente recortadas...

Nota: postal das Edições Artecor Portugal.

terça-feira, 21 de agosto de 2012

Museu do Rio - Alcoutim


Terra de contrastes, Alcoutim mistura o rosa pálido de milhares de amendoeiras em flor, os espaços amplos onde se encontra a natureza e a tranquilidade para apreciar o amontoado de flores silvestres com as aves que gorjeiam nos ramos das árvores. É terra do interior algarvio, onde o azul do rio é emoldurado pelo verde fresco da vegetação ribeirinha e as casas são feitas com paredes de xisto, a perder de vista por entre as serranias.

 Foto: Pedro Reis
Muito haveria para ver e para contar nesta terra de encantos, mas hoje ficamo-nos pelo sugestivo Museu do Rio, situado na localidade de Guerreiros do Rio (a 8 km de Alcoutim). É um pitoresco museu dedicado à história do mar e à ligação do povo com o rio Guadiana. Inserido numa antiga escola primária, reúne um interessante acervo das artes piscatórias. E por tudo isto, é também um sítio que pede a vossa visita!

 Foto: F32

Aberto diariamente das 9h30 às 13h00 e das 14h30 às 18h00.

Entrada paga. Bilhete normal – 2.50€
Cartão jovem e seniores (maiores de 65 anos) – 1.50€
Preço especial grupos – 1.50€/pessoa




Foto: F32
 Foto: F32

segunda-feira, 20 de agosto de 2012

Os segredos de... Chitra Stern


Hoje estamos em maré de segredos e vamos desvendar os de Chitra Stern, proprietária e administradora do Martinhal Beach Resort & Hotel.



No Algarve… Quando?
Outubro, novembro.

Um local memorável…?
Praia do Martinhal.

A companhia ideal…?
A minha família.

Algarve combina com…?
Qualidade de vida, férias de qualidade.

Um sabor do Algarve…?
Perceves.

 O que não dispensa no Algarve…?
O sol.


sexta-feira, 17 de agosto de 2012

Volta ao Algarve em quatro experiências

Não é preciso parar o tempo para viver fora dele. No Algarve há momentos assim, em que o relógio é apenas um adorno e os minutos esticam até aos limites da vontade. Vinte e quatro horas na região é o que aqui propomos, entre experiências únicas no ar, no mar e em terra.


Créditos: Barlavento Balloons

O dia começa literalmente nas nuvens, a bordo de um balão de ar quente. A descolagem faz-se ao amanhecer na base da serra de Monchique numa viagem que se deslocará ao sabor do vento. No silêncio do movimento, a paisagem desfia-se pelos montes do Barrocal, laranjais e pelas pequenas aldeias de hábitos tradicionais. Com a natureza a circundar o balão colorido e as cabeças mais ou menos distantes (consoante a altitude de voo) de quem ficou em terra, este passeio acima do nível do chão continua durante uma hora e só termina cerca de 20 quilómetros depois. Dentro da gôndola – não veneziana, mas portuguesa – há espaço para amigos e família, mas também há pacotes românticos para duas pessoas. E nem no final a navegação aérea desilude: há ainda a emoção de não se saber onde termina o voo.


Créditos: O Estaminé

Ao aterrar, o apetite pede um almoço numa ilha deserta. Satisfaz-se o capricho da barriga na Ilha da Barreta, em Faro, onde se saboreia o peixe fresco grelhado comprado aos pescadores da zona. Douradas, sargos e chernes ou amêijoas, choquinhos e camarão, todos entram na ementa de delícias que provam que o que é local é bom. Apenas acessível de barco – o transporte faz-se por carreira regular no verão ou aquatáxi –, «O Estaminé» é o restaurante mais a sul do país, localizado no Parque Natural da Ria Formosa. Ideal para descansar sobre as dunas, com vista perdida na costa e na serra.


Créditos: Natura Algarve

Tarde adiante. O resto do programa continua na água, mas sem a habitual toalha ou guarda-sol. Olhão é o destino que se segue para descobrir outra sensação de voar: a observação de aves em plena Ria Formosa. O catamarã parte da marina e tem rumo traçado durante cerca de cinco horas. Há binóculos, documentos para ajudar a identificar as espécies e um guia da natureza por perto para explicar a diferença entre o colhereiro, por exemplo, e a garça-real. Pouco depois de zarpar, o barco navega pelos sapais que mostram bandos de ostraceiros – com as suas penas pretas e brancas em contraste com o bico e as patas vermelhas – e de flamingos, que já parecem acostumados aos olhos esbugalhados de quem passa. O percurso tem tanto de beleza quanto de surpresa: na flutuação das águas, as margens enchem-se de sons e de animais que garantem fotografias impressionantes, se forem menos esquivos.


Créditos: Villa Termal das Caldas de Monchique

A fechar o dia, um jantar sublime no interior algarvio. O «Restaurante 1692» ganhou o nome por homenagem aos primeiros registos de utilização pública da água termal das Caldas de Monchique e está aberto todos os dias, com pratos que exploram os enchidos da região ou o linguado à algarvia – o palato agradece. De preferência, que se jante na companhia da brisa exterior da esplanada dos ulmeiros, situada entre a tranquilidade natural do ambiente e a melodia dos pássaros que por ali esvoaçam.

quinta-feira, 16 de agosto de 2012

A ciência está viva no Algarve


Este mês temos uma palavra para vocês: ciência. Está em todo o lado, espalhada pela região em dezenas de atividades ao ar livre ou dentro de portas que acordam os sentidos para o simples prazer da descoberta. Vamos então de férias com ela, através das aves e borboletas noturnas, dos monumentos, aquários naturais, estrelas, planetas, dunas, castelos e faróis. Agora.




Tem mesmo de ser agora, porque senão corremos o risco de perder ações científicas durante o fim de semana. O sábado, por exemplo, começa com lições de biologia na praia de Faro. A biodiversidade que existe na ria Formosa estará sob a atenção dos participantes, assim como os desafios e ameaças que ela enfrenta. Quem preferir percorrer as muralhas do castelo de Lagos e saber mais sobre a geometria e a balística desta estrutura defensiva poderá fazê-lo também neste dia. Ou então partir «Por mares nunca antes navegados», na praia do Monte Clérigo (Aljezur), ou ainda perceber que «As barras também migram», na praia de Faro. São outras propostas, em forma de excursão, para os curiosos do conhecimento.


Nebulosa «Capacete de Thor». Créditos: Robert Gendler


Já a noite reserva-nos a observação astronómica à vista desarmada, com binóculos e telescópio, no Centro Ciência Viva do Algarve, em Faro (estão previstas sessões idênticas para Portimão, dia 21, Senhora da Rocha, dia 23, Albufeira, dia 28, Lagos, dia 29, e Olhão, dia 29).

Fazemos uma breve paragem na engenharia na segunda-feira, dia 20, para uma visita à Estação de Tratamento de Água de Alcantarilha (Silves), onde poderemos ver como se trata a água que bebemos.

Na próxima quarta-feira, dia 22, a escolha faz-se entre a observação solar e a construção de relógios solares, a descoberta das aves (ambas no Centro Ciência Viva do Algarve) ou a geologia no Centro Ciência Viva de Lagos. Como se movem os astros? Quais as principais espécies de aves do Algarve? E que rochas são aplicadas nas fachadas dos nossos edifícios? Só saberão as respostas se participarem nas atividades…

Um dia depois, tudo acontece no Centro de Estudos da Associação «A Rocha» na Mexilhoeira Grande, em Portimão. E quando dizemos tudo, é mesmo assim: as únicas ações que terão lugar na região no dia 23 estão ali e apresentam-se com nomes muito sugestivos, como «Um jardim diferente», «Hete...quê? Heteróceros! Hã? Borboletas noturnas!» e «As Aves dos nossos jardins».


Farol do cabo de Santa Maria. Créditos: Marinha Portuguesa - Direção de Faróis


De olhos postos (ainda) nas aves, a Fonte da Benémola em Querença recebe no dia 25 uma demonstração de anilhagem científica de aves. Entretanto, no Centro Ciência Viva de Tavira, o protagonista será o cristal de sal. A salina é um autêntico laboratório de química ao ar livre – explica o sítio da Ciência Viva – e por isso a de Tavira merecerá uma visita, pelo menos, neste dia. Dia que ainda nos propõe observação de aves na praia do Telheiro, em Lagos, uma passagem por um dos melhores exemplares da arquitetura militar islâmica em Portugal – o castelo de Paderne –, uma visita (repetida no dia seguinte) ao farol do cabo de Santa Maria, na ilha da Culatra, em Olhão, que se acenderá pouco depois de o Sol se pôr. Ou então experimentar atividades ligadas aos temas da biodiversidade e das alterações climáticas em ambientes marinhos, no Centro Náutico da praia de Faro, ou, para quem tiver falhado a ação do dia 18, perceber que «As barras também migram», no mesmo sítio.

O dia 26 reserva-nos uma espreitadela ao castelo de Salir, edificado em taipa, e outra à ciência fresquinha e simples de realizar no Centro Ciência Viva de Lagos.


Centro Ciência Viva do Algarve (CCVA). Créditos: CCVA 


Já pertinho do final do mês, ainda haverá tempo para aprender a construir veículos lunares num atelier com materiais reutilizáveis ou de identificar as constelações e os movimentos do céu que está por cima das nossas cabeças, no planetário. Ambas as iniciativas decorrem no Centro Ciência Viva do Algarve, em Faro, no dia 29. Em Tavira, a partir do Centro Ciência Viva, poderemos fazer o percurso «Da Terra ao Mar», que tem o objetivo de mostrar o património cultural, histórico e natural de Tavira.

As borboletas noturnas, o jardim diferente (que é afinal uma estação meteorológica) e as aves que existem nos nossos jardins regressam ao programa no dia 30, outra vez no Centro de Estudos da Associação «A Rocha» na Mexilhoeira Grande, em Portimão. A última sugestão do dia é a «Rota das salinas centenárias» da Necton, localizadas em frente à barra de Faro. O ponto de encontro será, no entanto, no Centro Ciência Viva do Algarve.

Apesar de o dia 31 ser o último de agosto, ele não nos deixará mais parados. Seremos convidados a observar as aves da ria Formosa (no Parque Natural da Ria Formosa, em Olhão) ou a entrar na rota das nascentes (nas Gambelas, em Faro) que drenam os aquíferos do Jurássico médio e inferior do Algarve Central.

Todas estas ações estão incluídas no programa Ciência Viva no verão, que se estende até ao dia 15 de setembro e que promove a aproximação das pessoas com a natureza selvagem e a natureza da engenharia das estruturas simbólicas do país.

Nota:
As atividades têm hora marcada e algumas requerem inscrição prévia. Para mais informações, entrem aqui.

terça-feira, 14 de agosto de 2012

Room with a view: #510 Eurotel Altura Hotel & Beach


Em pleno sotavento algarvio, apenas as dunas separam o Eurotel Altura Hotel & Beach das águas quentes e cristalinas de uma das praias preferidas dos turistas portugueses. A vista do quarto n.º 510 é encantadora, não acham?

Mais informações aqui.


segunda-feira, 13 de agosto de 2012

Pepinos do mar. Já viu se tem algum no seu prato?


Existe a espécie Holothuria mammata em Portugal. Foto daqui.

O jornal online Ciência Hoje anuncia que os pepinos do mar, que no Algarve encontramos na ria Formosa, podem vir parar ao nosso prato. Os investigadores descobriram mesmo um elevado valor nutricional em cinco espécies. A jornalista Susana Lage revela quais.


Pepinos do mar podem vir parar ao nosso prato!

Algumas espécies de pepinos do mar têm um elevado valor nutricional, podem ser usadas como alimentos funcionais e, no futuro, até para fins terapêuticos. Esta é a conclusão principal de um trabalho realizado por investigadores do Centro de Ciências do Mar (CCMAR) e Mercedes González-Wangüemert, investigadora principal do projecto CUMFISH e também do CCMAR.

Ao Ciência Hoje, Luísa Custódio, do grupo MarBiotech do CCMAR, explicou que o objectivo de avaliar o perfil nutricional de Holothuria arguinensis, H. mammata, H. polii, H. tubulosa e Eostichopus regalis, era descobrir até que ponto estas espécies de pepinos do mar se adequam à alimentação humana. Isto porque todas as espécies em estudo são utilizadas para consumo humano e algumas delas, como Eostichopus regalis, atingem valores bastante elevados no mercado espanhol, particularmente na Catalunha. No entanto, «pouco se sabe acerca do seu valor nutritivo».

«Todas as espécies em estudo contêm um baixo teor de gordura e um elevado teor proteico, e a fracção lipídica (gorduras) é essencialmente composta por ácidos gordos poli-insaturados, os quais se encontram associados a numerosos benefícios em termos de saúde, como redução da incidência de doenças cardiovasculares. A espécie H. arguinensis contém ainda compostos com propriedades antioxidantes», afirma a investigadora.

Os pepinos do mar usados para alimentação na região Indo-Pacífico e desde há muitos anos utilizados também na medicina popular na Ásia e Médio Oriente, são cada vez mais procurados como alimento e fonte de compostos bioativos, não só na Ásia, mas também na América, Austrália e Europa.

As espécies Holothuria mammata, H. arguinensis e E. regalis podem ser encontradas em Portugal, sendo inclusive as duas primeiras comercializadas por portugueses. No entanto, Luísa Custódio considera que «não são consumidas por cá ainda. Talvez o sejam em alguns restaurantes Chineses».

Em resultado de uma sobre-exploração pesqueira, em algumas zonas determinadas espécies de pepinos do mar têm desaparecido. Deste modo, os investigadores do CCMAR acreditam que se não forem tomadas medidas com vista regulamentar as capturas, algumas populações possam desaparecer, especialmente da espécie H. arguinensis, a qual se encontra numa faixa geográfica reduzida (Costa portuguesa, desde Peniche até ao Algarve; Ilhas Canárias; Açores; Mauritânia e Costa Espanhola, de Huelva até Alicante). «Esta espécie é de fácil captura durante a maré baixa, pelo que o excesso de pesca pode constituir um problema sério», alerta a cientista.

Neste momento, o grupo MarBiotech, cujo líder é João Varela, continua a analisar com mais detalhe o perfil nutricional dos pepinos, nomeadamente através do estudo da sua composição em aminoácidos e outros elementos benéficos para a saúde humana.

Os investigadores estão também a estudar estas espécies como fontes de biocompostos para tratamento de doenças humanas, através do estudo de, por exemplo, actividade antioxidante e antitumoral de extractos feitos a partir de diferentes produtos destes animais.

A investigação contempla ainda o estudo de outras espécies edíveis de pepinos do mar, averiguar a influência da zona de captura no perfil nutricional das espécies e ainda a influência do modo de processamento (ex. secagem, congelamento) dos pepinos na sua componente nutricional.


 




sexta-feira, 10 de agosto de 2012

Praia da Rocha entre as 10 praias de «tirar o fôlego» do mundo – TripAdvisor

Praia da Rocha (foto Hélio Ramos).

A praia da Rocha está entre as 10 praias de «tirar o fôlego» de todo o mundo, anunciou a rede social TripAdvisor. O areal algarvio surge na 5.ª posição da lista publicada pela maior comunidade de viagens do mundo, que tem mais de 56 milhões de visitantes mensais únicos e acima de 75 milhões de comentários e opiniões para ajudar a planear as férias dos viajantes.

Com um vasto e espaçoso areal protegido por arribas de tons quentes e harmoniosamente recortadas, a praia da Rocha é o local de férias eleito por cada vez mais veraneantes e uma das praias mais conhecidas do país. Tendo sido objeto de requalificação, a praia possui agora uma rede de largos passadiços que percorrem todo o areal, ao longo dos quais se multiplicam os equipamentos de apoio aos utentes da praia. Já na avenida que acompanha a frente de mar da Rocha, sucedem-se hotéis, bares, esplanadas, discotecas e um casino, culminando na marina de Portimão, diversificando a oferta turística e emprestando muito colorido e animação à praia.

As 10 praias de «tirar o fôlego» do TripAdvisor:

1. Navagio Beach (Shipwreck Beach), Grécia
2. Whitehaven Beach , Austrália
3. Playa Flamenco, Porto Rico
4. Yapak Beach (Puka Shell Beach), Filipinas
5. Praia da Rocha, Portimão
6. Aitutaki Lagoon, Ilhas Cook
7. Baía do Sancho, Brasil
8. Piscine Naturelle, Nova Caledónia
9. Grace Bay, Ilhas Turks e Caicos
10. Pantai Geger, Indonésia



quarta-feira, 8 de agosto de 2012

Bilhete-postal: praia do Inatel

A praia deve o seu nome às instalações do Inatel, antiga FNAT - Fundação Nacional para a Alegria no Trabalho, ilustradas neste postal sem data. O areal era identificado como "praia da Colónia de Férias Pedro Teotónio Pereira" e é hoje uma das praias urbanas mais frequentadas de Albufeira.

Nota: postal da coleção Passporte LOTY.

terça-feira, 7 de agosto de 2012

Para grandes males, grandes remédios

No Museu Regional do Algarve, em Faro, não é preciso uma grande visita para perceber que as atenções giram em torno do provérbio «para grandes males, grandes remédios». Pelo menos desde março, altura em que a exposição dedicada à medicina popular foi inaugurada. Em três meses recebeu 1157 pessoas e agora que está quase a terminar (dia 17 de agosto), desafiamos-vos a espreitarem as mezinhas e superstições que ainda hoje são praticadas no concelho. Sem medos (ou qualquer sombra de bruxaria).



A mostra «Para grandes males, grandes remédios: a medicina popular no concelho de Faro» faz parte de um levantamento de costumes de cura que, ao longo do tempo, foram caindo em desuso pela população. Dentro do museu, saltam à vista a alva de cão (fezes) para tratar anginas e duas sanguessugas para curar hematomas e feridas infetadas. Os anelídeos estão vivos – para contentamento das crianças que passam pelo espaço – e são alimentados com fígado ou açúcar dentro do frasco onde estão guardados.



Como tratar as cãibras ou o cabelo desidratado e sem brilho? Como aliviar a dor de barriga nas crianças ou evitar a fraqueza das pernas? A exposição responde, com a ajuda da sabedoria dos habitantes da ilha da Culatra.

Se ficaram curiosos, o melhor é percorrerem o Museu Regional do Algarve para verem o que ficou por contar, e que inclui amuletos e ainda mais benzeduras. Para quem não puder ir, deixamos aqui a reza para proteção pessoal (dá sempre jeito, dizemos nós…).


Oração a S. Silvestre
Encomendo a S. Silvestre e à camisa que ele veste e às varas de S. Jorge, com que Deus andou armado. O meu corpo não seja corto, nem o meu sangue derramado. Quem tem olhos não me veja, quem tem braços não me prenda. Valha-me a Nossa Senhora, de todo o perigo me defenda.

segunda-feira, 6 de agosto de 2012

Algarve «soalheiro» em destaque na imprensa britânica

Carvoeiro (Jorge Fonseca ® direitos reservados).

O Algarve destaca-se na lista dos locais mais soalheiros para viver publicada pelo The Telegraph, que considera Portugal no 9.º lugar entre os vinte destinos onde o sol mais brilha em todo o mundo.

Segundo o jornal, o Algarve é uma das melhores opções para fugir ao «grande verão britânico», que inclui as tradicionais chuvadas, sandes encharcadas e viagens ao litoral de casaco impermeável.

Os 35 campos de golfe de nível mundial, os preços acessíveis e sem a construção desenfreada de Espanha, as temperaturas a rondar os 25º C no verão e as dez horas de sol por dia fazem do Algarve um destino idílico para os britânicos.

A referência a Portugal e ao Algarve surge numa lista liderada pelo Brasil e entre destinos turísticos nas Caraíbas – Anguila, Barbados, ilhas Caimão e as Bahamas – e europeus – França, Malta, Maiorca (Espanha), Gibraltar, Mónaco, Itália e Corfu (Grécia). A ilha da Madeira surge no 15.º lugar.

sexta-feira, 3 de agosto de 2012

Viagem aos anos 80 ao som dos Kool & The Gang

Kool & The Gang (créditos fotográficos: Silvia Mautner)

«Celebration» é o lema da gala de verão do Sheraton Algarve & Pine Cliffs Resort que esta noite traz a Albufeira os Kool & The Gang, grupo celebrado nos anos 70 e 80 pelos êxitos Ladies night (1979), Celebration (1980), Get down on it (1982) ou Fresh (1985).

O resort de luxo, que comemora o 20.º aniversário, promete tornar este evento «o mais glamoroso e memorável» do Algarve e preparou um programa onde tudo está pensado para que seja uma festa inesquecível.

A noite começa com a atuação especial dos Kool & The Gang, uma das mais emblemáticas bandas americanas – com mais de 70 milhões de discos vendidos – que inventou um som próprio que mistura estilos tão diversos como o jazz, r&b, funk ou pop.

George Funky Brown, Ronald Khalis Bell, Robert Kool Bell e Dennis DT Thomas (na foto) pisam um palco por onde já passaram nomes sonantes da música internacional tais como Joe Cocker, Michael Bolton, Dionne Warwick, Gloria Gaynor, Bryan Ferry, Lionel Richie ou Rick Astley.

A boa disposição e muita dança prometem dominar a noite, que se prolongará até ao nascer do sol com uma after party animada pela DJ Sofia Gião e a anunciada presença live da banda Kool & The Gang, para além de outras surpresas.

Os bilhetes para a gala de verão estão à venda na FNAC, Ticketline e diretamente no resort e incluem um requintado jantar ao ar livre confecionado pelo Chef Fabien Martinez. Existem duas opções: o bilhete Gold (com jantar buffet e after party) e Platina (com jantar servido na área privilegiada junto ao palco e after party com bar aberto).

Mais informação aqui.

quinta-feira, 2 de agosto de 2012

Rota dos Descobrimentos junta Algarve e Andaluzia



Farol do cabo de São Vicente

O Turismo do Algarve é parceiro da Rota Europeia dos Descobrimentos – DESCUBRITER, projeto que integra a cultura, a história e o património da navegação, os descobridores e a tradição marítima do Algarve e da Andaluzia.

Do Algarve partem as primeiras expedições de exploração da costa africana que dão início à Era dos Descobrimentos portugueses no séc. XV, com particular relevo para Lagos, Vila do Bispo e Sagres, localidades fortemente ligadas à figura do Infante Dom Henrique, o Navegador.

No início do séc. XVI, a província de Sevilha torna-se porto e porta das Índias, daí partindo e regressando todas as expedições marítimas. Na gesta dos Descobrimentos espanhóis estão Sanlúcar de Barrameda (Cádiz), enclave logístico e comercial na foz do Guadalquivir, e Palos de la Frontera (Huelva), berço da Descoberta da América.

Estes «territórios dos Descobrimentos», espalhados entre o cabo de São Vicente e Sanlúcar de Barrameda, unem-se agora num projeto que inclui diversas iniciativas de sensibilização e divulgação cultural: um museu virtual dos Descobrimentos, ações de promoção turística a bordo de réplicas de embarcações históricas – nau Victoria e caravela Boa Esperança –, jornadas sobre os Descobrimentos, uma newsletter mensal e um sítio na Internet em www.descubriter.com/pt.

A Rota Europeia dos Descobrimentos – DESCUBRITER é uma iniciativa ao abrigo do FEDER orçada em 560 mil euros e cofinanciada a 75 por cento através do Programa Operativo de Cooperação Transfronteiriça Espanha-Portugal 2007-2013 (POCTEP).

O projeto é coordenado pela Fundación Nao Victoria e conta com a participação do Turismo de Sevilha, Turismo do Algarve, Direção Regional de Cultura do Algarve, Promosagres e municípios de Sanlúcar de Barrameda, Palos de la Frontera, Lagos e Vila do Bispo.
Miradouro na ponta de Sagres

quarta-feira, 1 de agosto de 2012

Room with a view: #153 CS São Rafael Atlantic Hotel


Uma vista paradisíaca à vossa espera no quarto n.º 153 do CS São Rafael Atlantic Hotel, em Albufeira. Os tons de verde e de azul transmitem-nos uma sensação de bem-estar e convidam-nos a umas férias relaxantes num dos mais recentes hotéis cinco estrelas do Algarve.

Mais informações aqui.