terça-feira, 28 de agosto de 2012

Igreja matriz de Santa Maria do Castelo (Tavira)



Construída na segunda metade do séc. XIII, no local onde antes se situava a mesquita de Tavira, a igreja de Santa Maria do Castelo foi originalmente um edifício de estilo gótico, como comprova o portal ogival, mas sofreu estragos consideráveis aquando do terramoto de 1755, pelo que foi necessário proceder à sua reconstrução.

O projeto ficou a cargo do arquiteto italiano Francisco Xavier Fabri, que teve a preocupação de manter a estrutura original da igreja – três naves e quatro tramos –, tendo aproveitado a cabeceira e algumas capelas laterais, caso da Capela do Evangelho, de estilo gótico, e da Capela do Senhor dos Passos, de estilo manuelino mas revestida com azulejos do séc. XVII.

Relativamente à ornamentação interior, merece destaque a capela-mor, onde se vê um retábulo do início do séc. XIX de arquitetura simulada (pintada). Nas paredes laterais da capela-mor observam-se duas inscrições medievais que assinalam a presença do túmulo de D. Paio Peres Correia e dos seis cavaleiros que morreram na reconquista cristã de Tavira.

Igualmente interessantes são o retábulo da Paixão, de estilo rococó, e o retábulo neoclássico do batistério, que incorpora uma bonita pintura do final do séc. XVIII representando a assunção da Virgem Nossa Senhora, e cuja autoria se atribui ao italiano Corrado Guiaquinto.

A igreja matriz de Santa Maria do Castelo é monumento nacional e está aberta ao público de segunda-feira a sexta-feira das 10h00 às 17h00 e ao sábado entre as 10h00 e as 13h00 (exceto se houver cerimónias religiosas). A entrada no núcleo de arte sacra tem um custo de € 1,50.

Sem comentários:

Enviar um comentário