segunda-feira, 27 de agosto de 2012

Os segredos de... Dina Sacramento


A Dina Sacramento é nossa colega e, para além de segredos, tem muitas histórias para contar. É ela que nos faz companhia, hoje.

Em Monchique, janeiro 2012

Eu, Dina nasci aqui mesmo. Nasci num inverno, que me disseram ter sido rigoroso… No Algarve… invernos rigorosos?... Só pode ter sido engano na informação que me deram!
Pais algarvios, avôs algarvios, tudo, mas tudo, foi nascido e criado neste pedacinho de terra, em casas bem ao estilo rural, com chaminés rendilhadas, telhados de telha e caniço que deixavam passar não só o pó mas também alguns bicharocos que caíam por descuido ou, de propósito, procuravam o fresco das habitações humanas. Uma varanda para secar os figos e as amêndoas. Muitas vezes um eirado para debulhar o trigo no verão e recolher a água dos telhados para a cisterna no inverno.
Brincadeiras sem fim à sombra das alfarrobeiras onde as crianças pediam a alguém maior para lhes “fazer uma ardoiça”, (balouço feito com uma corda, muitas vezes tirada à socapa das cabanas onde se guardava tudo o que era preciso para os trabalhos na terra e onde ficavam os animais quando não estavam com os seus donos nos campos) e onde se tinham casinhas de brincar, feitas com pequenas pedras para separar a”casa de fora” do quarto e da cozinha. Pedacinhos de louça partida para decorar ou a servir de utensílios para as variadas tarefas das donas de casa.

Escola Secundária João de Deus, antigo Liceu Nacional de Faro

Foi aqui, no Algarve, que aprendi das primeiras letras. Com alguma dificuldade, pais e avô mandaram-me estudar para o então chamado Liceu Nacional de Faro, que na altura já era bem bom. Como não fui muito preguiçosa deixaram-me acabar o ensino complementar (antigo 7º ano). 
Belas recordações …tenho desses anos. Algumas amizades prevalecem ainda hoje. Os primeiros namoricos, o livro de autógrafos que passava de mão em mão para toda a gente escrever uma dedicatória, as batas brancas com a fita a identificar o ano em que se andava…os contínuos que teimavam em não nos deixar sair do edifício.

  
No Algarve… Quando?

Desde 1956…. e sempre.

Um local memorável…?

Porque eu não sou muito amante de praia, um local que sempre me atraiu foi Monchique, mais precisamente as Caldas.
A natureza aqui é simplesmente maravilhosa! Árvores de grande porte, canteiros de pequenas flores, flores campestres, ervas aromáticas. Tudo o que eu queria ter no meu quintal!

A companhia ideal…?

Família, amigos, mas que sejam bem dispostos!
Animais também fazem boa companhia.

Algarve combina com…?

Sol quase o ano inteiro, temperaturas amenas, luar maravilhoso e mar, muito mar!

Um sabor do Algarve…?

No verão as sardinhas assadas com gaspacho, amêijoas fresquinhas, conquilhas. No inverno as papas de milho, as cataplanas, as caldeiradas.

O que não dispensa no Algarve…?

Não dispenso nada!...É tudo meu!


3 comentários:

  1. Boa tarde, gostei muito da rubrica. Já agora, onde fica em Monchique o sítio da primeira foto? Parece lindo!

    ResponderEliminar
  2. A fotografia foi tirada no Parque da Mina, em Vale de Boi, na estrada n.º 266 que liga Portimão a Monchique, antes da chegada às Caldas.

    ResponderEliminar
  3. Entao ,o Eusebio ,o Luis , o Rocha, o Ramos e a "das kleine madchen" e a Dina do Nascimento onde param por estes dias?!

    ResponderEliminar