terça-feira, 11 de junho de 2013

Arte, gastronomia e património divulgam Rota dos Descobrimentos

Mostra de especiarias durante as Jornadas Culturais dos Descobrimentos

A influência dos Descobrimentos nas nossas atuais experiências gastronómicas foi um dos temas que esteve em foco nas Jornadas Culturais do Descubriter que decorreram ontem, dia 10 de junho, em Vila do Bispo e durante as quais os participantes tiveram a oportunidade de assistir a uma performance do artista plástico Jorge Rocha, com o apoio do historiador Artur de Jesus.

Num formato de talk-show, difundido em direto na internet, a sessão “Viagem pelos sabores” permitiu fazer uma abordagem do cruzamento gastronómico entre os ingredientes que se julgam originalmente ligados ao território e outros sabores que foram introduzidos já na época moderna, por via dos Descobrimentos.



Para além da participação da assistência presente na sala do Centro de Interpretação de Vila do Bispo, que contribui para a discussão das curiosidades relacionadas com a alimentação naval na era dos Descobrimentos e o cruzamento de culturas no espaço atlântico, também quem assistiu pela internet teve a oportunidade de colocar questões e manifestar-se em direto a través de um “chat”.
 
Chat permitiu a participação de quem assistiu pela Internet


Na sua performance, Jorge Rocha do projeto Palato, confeccionou um prato de bacalhau com caril, mandioca e abacaxi; um prato de codornizes recheadas com figos e umas migas de gengibre, alho e limão.
 
Pratos confecionados por Jorge Rocha


Na segunda parte desta “viagem pelos sabores”, os protagonistas foram as tradições e os produtos locais trazidos por José Francisco do Café Correia, o restaurante há mais tempo em atividade na Vila do Bispo. O peixe, o marisco, a caça, os caracóis, os figos e a batata-doce motivaram uma animada troca de histórias e experiências entre os participantes.
 
José Francisco (Café Correia ) na sua demonstração de sabores locais


As Jornadas Culturais foram promovidas pela Câmara Municipal de Vila do Bispo no âmbito do projeto Descubriter – Rota Europeia dos Descobrimentos e contaram ainda com uma comunicação da Direção Regional de Cultura do Algarve que incidiu sobre o urbanismo, o património religioso e o património militar do Algarve, dos séc. XV e XVI, enquanto testemunhos da época dos Descobrimentos a incluir e divulgar nesta rota. 

Sem comentários:

Enviar um comentário