sexta-feira, 15 de maio de 2015

O que é doce nunca amargou!




"O que é doce nunca amargou". Isso mesmo podemos dizer do nosso mel algarvio. De cor amarela escura e de aroma e sabor suave é considerado um néctar muito rico em sais minerais. A abelha Apis mellifera é quem o produz e a sua composição é variada retendo do pólen da região, alfazema, eucalipto e urze, entre outros componentes saborosos. 
É nos finais do mês de maio e até meados do mês de julho que a sua recolha é feita, ficando depois em repouso até outubro. Trata-se de um processo moroso, natural e completamente certificado que já mereceu a denominação de origem protegida para uma área muito bem limitada de produção que inclui freguesias dos concelhos de Monchique, Aljezur, Lagos, Portimão e Silves. Procure-o num estabelecimento, leia bem o rótulo e creia que é um prazer nosso puder adoça-lo!
Deixamos-lhe, por isso, a receita de um bolo característico de Monchique, o Bolo de Tacho. 
- Farinha de milho
- Erva-doce em grão
- Erva-doce moída
- Café forte
- Banha ou margarina
- Farinha de trigo
- Aniz ou aguardente
- Sal
- Casquinhas de limão
- Azeite
- Cacau
- Chocolate
- Canela
- Mel
- Açúcar

De véspera faz-se um chá com erva-doce em grão e umas casquinhas de limão. Com este chá e o café escalda-se a farinha, juntando de seguida o mel, a banha, o açúcar e o azeite. Mistura-se tudo muito bem. No dia seguinte, junta-se o resto do chá e o resto dos ingredientes. A massa deve ficar brandinha. Deita-se em tachos untados com banha e um pouco de azeite e vai a cozer em forno bem quente, durante cerca de 2 horas.

Sem comentários:

Enviar um comentário