quinta-feira, 15 de outubro de 2015

O nosso outono


Créditos fotográficos: L'Express


“Antes que venha o inverno e disperse ao vento essas folhas de poesia que por aí caíram, vamos escolher uma ou outra que valha a pena conservar, ainda que não seja senão para memória”, escreveu Almeida Garrett na advertência inicial às suas Folhas Caídas. Precisamente antes que venha o inverno e ponha em debandada os dias de sol quentinho e as folhas das nossas árvores, aproveitemos a poesia do outono no Algarve. Ela já chegou a Espanha e a França, em dois artigos publicados no portal Los Viajeros e na revista L’Express. Para os espanhóis, o Algarve outonal é caminhadas, passeios de barco no Guadiana, pedaladas em bicicleta, gastronomia, tratamentos em spas, eventos e birdwatching (http://bit.ly/1QwKzIr). Para os franceses, a conversa é outra: a região – por eles apelidada de a Bretanha de Portugal – é o Atlântico que a banha, a indomável Costa Vicentina e a cidade piscatória de Olhão (http://bit.ly/1NJj291). Para nós, ela é tudo isto e também golfe, cultura e vida. É a nossa bela nada adormecida, com tanto a acontecer e para fazer, mesmo numa estação recolhida como o outono.

Sem comentários:

Enviar um comentário