sexta-feira, 7 de outubro de 2016

Um passeio envolvente no outono algarvio


Hoje revelamos um pouco de tudo o que o Algarve, e em particular este município, tem para oferecer: cultura, gastronomia, lazer, praia e natureza. Começamos no cimo do monte, envolvidos por hectares de natureza com apenas a Via do Infante ao fundo – na esperança de que quem por lá passar não fique indiferente e, quem sabe, inclua a visita a este monumento nos seus planos. Falamos de um dos sete castelos representados na bandeira de Portugal. Já sabe do que estamos a falar? É isso mesmo, estamos no Castelo de Paderne, situado no interior do concelho de Albufeira.


É pelo Castelo de Paderne que começamos este passeio por Albufeira. As suas ruínas constituem um dos exemplares mais significativos da arquitetura militar muçulmana na Península Ibérica e nas suas muralhas foi usado um único processo construtivo e que hoje em dia já não se utiliza: a taipa militar. Sentimo-nos envolvidos pela história da época e pela paisagem envolvente que é de tirar o fôlego. Para lá chegar, sugerimos que calce as sapatilhas e siga com energia pelo percurso pedestre que parte de Paderne até ao topo do castelo. Existe também a opção mais aventureira, em que pode subir num buggy. Pareceu-nos muito divertido.


Como já vamos a meio da manhã e o segundo-pequeno almoço chama por nós, seguimos para a Quinta do Mel, situada perto da praia dos Olhos de Água, um espaço de turismo rural tipicamente algarvio onde se pode passar a noite ou apenas desfrutar de refeições feitas com produtos biológicos vindos diretamente das suas terras. Aqui, podemos degustar uns scones com doce de tomate e de abóbora acompanhados por deliciosos chás caseiros. Estão também disponíveis para compra os produtos que são disponibilizados durante as refeições. Às quartas-feiras, mediante reserva, podemos jantar e assistir a espetáculos de fado ao vivo.


O relógio aponta para a hora de almoço e como no Algarve o outono convida para espaços ao ar livre rumamos a um restaurante em plena praia da Santa Eulalia: O Pescador. Sentados com vista privilegiada para o mar, à mesa chegam-nos os sabores algarvios: marisco e peixe grelhado. Para entrada tivemos o sempre bem-vindo pão com patés, manteigas e azeitonas, gambas cozidas e ainda ameijoas à bulhão pato. O peixe grelhado chegou à mesa numa grande travessa e foi rapidamente servido pelos pratos. Já bem cheios, mas sempre com espaço para a sobremesa, podemos provar doces tipicamente algarvios e que sugerimos que todos os experimentem, com a garantia de que não encontrarão estes sabores em nenhuma outra parte: doce fino, dom Rodrigo e a delícia algarvia (figo, alfarroba e amêndoa). Para nossa surpresa a almoçar no restaurante estava a cantora galesa Bonnie Tyler, ela que também se rendeu aos encantos de Albufeira, tendo chegado a comprar uma casa na cidade algarvia.



A temperatura quente que se faz sentir neste início de outono algarvio convida a que depois do almoço se faça um passeio pelo centro antigo de Albufeira. Começamos pela rua Beato Vicente e vamos  descendo até à Igreja Sant’Ana, contruída no século XVIII, continuamos pelas rua envolventes e paramos para admirar a Capela da Misericórdia, antiga mesquita Árabe que chegou a ser atingida pelo terramoto de 1755. Descemos pela conhecida rua da Bateria até à Praça dos Pescadores, local onde se realizam grandes festividades em Albufeira, como a Passagem de Ano que conta com grandes artistas que animam a festa pela noite fora.


Para terminarmos este passeio em grande, rumamos à Adega do Cantor, vizinha do centro comercial Algarve Shopping, na Guia. Depois de uma visita guiada às caves e para terminar degustamos dois vinhos produzidos na quinta de Sir Cliff Richards: um branco frizante “3Q”, em homenagem às três quintas dos proprietários, que está agora a ser comercializado nos supermercados; e um tinto “Vida Nova” de 2014.


Em perfeita harmonia é como terminamos este passeio pelos encantos de Albufeira. Esperamos que seja o(a) próximo(a) a deixar-se envolver pelo município. 


Texto: Sara Viegas | Fotografia: Sónia Tomás | Edição: Assis Coelho

Sem comentários:

Enviar um comentário