sexta-feira, 9 de dezembro de 2016

Visitar a ‘esquina do mundo’



Não sabe o que é uma fam trip? Não é mais do que uma visita de familiarização com um destino turístico ou, neste caso, com um município. A iniciativa “Redescobrir os Segredos do Algarve” em Vila do Bispo foi isso mesmo: um grupo de operadores turísticos, jornalistas e entidades regionais embarcou numa viagem em direção ao fim do mundo conhecido pelo homem na Antiguidade e percorreu a história de um concelho algarvio que também integra a Rota dos Omíadas no Algarve, o itinerário turístico-cultural dedicado à dinastia árabe que há mil anos dominava o Mediterrâneo.


A fam trip “Redescobrir os Segredos do Algarve” em Vila do Bispo foi, assim, um desafio dois-em-um, que levou os visitantes num fascinante passeio pelas maravilhas menos conhecidas da região mais sudoeste de Portugal e uma das mais importantes esquinas do mundo. E o que não faltaram foram achados, segredos que estavam mais ou menos escondidos e que agora nos foram revelados…

O grupo da fam trip

A Lota dos Percebes
Este espaço único no mundo (dizemos nós), é conhecido localmente por Lota dos Percebes. Trata-se do velho mercado e matadouro municipal, e agora acolhe o Centro de Interpretação de Vila do Bispo. Onde mais imaginam que existe uma lota dedicada ao percebe?

O Menir do Padrão
Esta marca do homem pré-histórico na paisagem da Raposeira tem alguns milhares de anos – parece que são mais de 6000 anos –, fazendo deste monumento megalítico (um dos mais de 250 conhecidos em Vila do bispo) um dos mais antigos do mundo. Não é um segredo fantástico?

Menir do Padrão

Vale de Boi
Ora, por falar em arqueologia, ficámos a saber que o mais antigo sítio habitado de todo o sul peninsular também fica nestes lados: há 33 mil anos que o homem vive em Vale de Boi!

Boca do Rio
Além de todo o valor natural e cultural do local, descobrimos um segredo que nos é muito caro, ou não estivéssemos no Algarve, eleito o Melhor Destino de Praia da Europa de 2016 nos óscares do turismo mundial. Então não é que havia gente a fazer praia na Boca do Rio em pleno mês de dezembro?

Praia da Boca do Rio

Ruínas debaixo do farol
Mais uma curiosidade que nos surpreendeu: debaixo do farol do cabo de São Vicente encontram-se umas ruínas ainda por explorar, mas que se pensa possam ser da mítica Ermida dos Corvos, templo construído ali mesmo, no fim do mundo mediterrâneo, em honra de São Vicente. Diz que são um pouco assustadoras, mas só de noite…

O farol tem um pólo museológico

Os cromados

"Não toquem nos cromados", avisa o Faroleiro

Pôr do sol no cabo sagrado
Por fim, o convite para apreciar o mágico pôr do sol no cabo de São Vicente, poeticamente descrito por autores clássicos, mas que hoje ainda move uma singular romaria que converge para esta extremidade da Europa, onde todos os dias algumas centenas de pessoas se juntam para assistir ao fenómeno celeste, aplaudindo o momento em que o astro rei se extingue no mar.

Farol do cabo de São Vicente


E ainda: um novo museu
Este segredo está quase a ser tornado público: Vila do Bispo vai ter um novo museu municipal nos antigos Celeiros da vila.


A rota dos Omíadas no Algarve

A Rota Omíada divulga a relação humana, cultural, artística e cientifica entre o Ocidente e o Oriente e a forma como o conhecimento foi transmitido na Europa pelo povo al-Andalus.

Dos múltiplos contactos feitos, ficou para a história o contexto artístico e cultural comum e a história e herança partilhadas – é precisamente esta a razão de ser destas rotas, que estabelecem vínculos e fortalecem as relações entre os diferentes povos que estão unidos por um passado comum.

A Rota Omíada retrata parte da história que sucede à dinastia fundada por Muawiya ibn Abi Sufian, desde a sua capital situada em Damasco e subsequente expansão para sul pela costa do Mediterrâneo até à Península Ibérica.

A Rota tem início no antigo Oriente Próximo, atravessando depois o Mediterrâneo até chegar ao Norte de África. Segue o percurso da civilização árabe ao entrar na Europa, e que viria a dar origem ao Califado de Córdova, onde a civilização hispano-muçulmana prosperou durante vários séculos. O itinerário tem início no ponto mais oriental da Jordânia e no Líbano, passando pelo Egito e pela Tunísia, com um ponto de paragem na Sicília, e terminando na Península Ibérica (Espanha e Algarve, em Portugal).

O domínio omíada no mediterrâneo e no Algarve correspondeu a um período importante de prosperidade económica e cultural que influenciou, para sempre, a cultura dos portugueses.


Mais informação: http://umayyad.eu

Sem comentários:

Enviar um comentário